Sites premium 

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
Natureza Mistica  (06-07-2017)
Vikings - Runas  (06-07-2017)
Referências  (06-07-2017)
O Homem e a Oração  (06-07-2017)
Meus Rituais  (06-07-2017)
Musicoterapia  (06-07-2017)
Microcosmo Místico  (06-07-2017)
Meditação em Mantras  (06-07-2017)
Macrocosmo, o Universo  (06-07-2017)
Intuição  (06-07-2017)

Rating: 2.6/5 (190 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...




Chacras
Chacras

 

 

 

“O homem é um ser enigmático, o universo é um profundo mistério e a Alma é  indestrutível”.

 

 

 

Antes de adentrarmos na essência dos Chacras torna-se necessário dar uma pincelada na Grande Tela que se chama Vida para conhecer o Microcosmo. O homem é composto de uma anatomia física  e uma anatomia sutil. Ao conhecer suas anatomias será possível uma conexão harmônica e equilibrada, mas muitas vezes, por falta de oportunidades,  interesse ou descaso desconhece os aspectos que lhe envolvem.

 

 

O Homem  e a  Anatomia Física

 

 

Anatomia humana descritiva

 

A anatomia humana é o campo da Biologia que é responsável por estudar a forma e a estrutura do organismo humano, bem como as suas partes. Nosso organismo é formado por células, órgãos e sistemas que desempenham funções específicas, mas, complementares. Os sistemas. Os  estudos modernos dividem a anatomia em:

. Sistêmica: estuda os sistemas do corpo humano, tais como o sistema digestório e o circulatório, direcionada as partes que compõem um sistema.

. Topográfica: estuda o corpo humano por regiões, e não por sistemas. Esse estudo facilita na orientação correta ao analisar um corpo.

Os sistemas mais estudados são:

. Tegumentar: formado pela pele, que é responsável por isolar nosso corpo, protegê-lo contra a entrada de patógenos e regular a temperatura.

 

 

 

 

. Esquelético: formado por ossos e cartilagens, esse sistema fornece sustentação e garante movimento ao nosso corpo.

 

 

 

. Muscular: formado pelos músculos estriados cardíacos, estriados esqueléticos e não estriados, esse sistema atua, por exemplo, na locomoção, nos movimentos do coração e no transporte de alimento por meio do tubo digestório. No seu conjunto, originam o arcabouço rijo que sustenta o corpo, protege-o e dá-lhe forma: hipocôndrio direito, epigástrio,  hipocôndrio esquerdo, flanco direito, mesogástrio, flanco esquerdo, fossa ilíaca direita, hipogástrio, fossa ilíaca esquerda.

 

 

  

. Nervoso: é o mais complexo no que se refere às funções e às atividades. Coordena todas as atividades orgânicas, conduzindo sensações e idéias para o espírito e do espírito, serve como elemento adaptador do organismo às condições do momento. É  formado por encéfalo, medula espinhal e nervos.

 

  

 

 

. Cardiovascular: constituído pelo coração e vasos sanguíneos. O coração é formado por quatro cavidades: aurícula direita, ventrículo direito, aurícula esquerda e ventrículo esquerdo. A fisiologia cardíaca é composta pela sístole e diástole. Durante a sístole (fase de contração), o sangue arterial é enviado para todo o organismo garantindo a vitalidade dos órgãos e o sangue venoso é impulsionado para os pulmões. Na fase de diástole (fase de relaxamento), ocorre o enchimento das cavidades cardíacas. Sintetizando: sístole - esvaziamento, diástole- enchimento.

  

 

. Digestório: formado pela boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e glândulas acessórias.

Boca - A digestão inicia-se nesta cavidade, quando os alimentos são submetidos à ação das enzimas.

Esôfago - possui a função de transportar alimentos para o estômago.

Estômago - realiza a digestão, armazenamento e produção do suco gástrico.

Intestino Delgado - participa da digestão dos alimentos e contribui decisivamente para a absorção das substâncias nutritivas, ou seja, encaminhando-as para o sangue.

Intestino Grosso - tem a função principal de armazenar o bolo fecal e excretá-lo.

Fígado - é uma glândula que exerce múltiplas atividades: transformação das substâncias, armazenamento da glicose, metabolismo do colesterol, produção de bile, produção de substâncias que participam da coagulação sanguínea.

Divisão anatômica do abdome. É dividido em regiões, visando localizar a situação topográfica dos órgãos:

Vesícula biliar - órgão localizado no abdome. Armazena a bile temporariamente, a qual será encaminhada para o intestino delgado.

Pâncreas exócrino - produz suco pancreático rico em água e enzimas que participam da digestão dos alimentos.

 

  

 

 

. Urinário: formado pelos rins, ureteres, bexiga e uretra, esse sistema é responsável por eliminar substâncias tóxicas ao corpo.

 

 

 

. Endócrino: é formado por glândulas que secretam hormônios: hipotálamo, hipófise, tireóide, paratireóide, supra-renais, pâncreas, epífise, ovários (mulher) e testículos (homem). Hipófise e hipotálamo - estão divididas no interior do crânio e elaboram diversos hormônios que participam do desenvolvimento do indivíduo e controle da secreção dos hormônios produzidos pelas supra-renais.

Pineal - situada no interior do crânio. A sua função não está devidamente esclarecida

Tireóide - localizada no pescoço. Interferem no psiquismo, freqüência cardíaca, peso ponderal, tensão arterial, etc.

Paratireóide - são em número de quatro e estão ao nível do pescoço. Regulam o metabolismo do cálcio.

Supra-renais - localizadas no abdome, estão alojadas na parte superior do rim e exercem múltiplas funções: controle da pressão arterial influencia o psiquismo, regula o peso ponderal, etc.

Pâncreas endócrino - localizado no abdome, produz a insulina que participa do metabolismo da glicose. 

 

 

 

. Reprodutor: Na mulher é formado por ovários, tuba uterina, útero, vagina e vulva, enquanto no homem é formado por testículo, epidídimo, ductos deferentes, uretra, pênis e algumas glândulas. A função desse sistema é garantir a reprodução da espécie.

Ovários - situados bilateralmente no abdome, elaboram os hormônios que asseguram os caracteres sexuais femininos. Testículos - são em número de dois; produzem o hormônio responsável pelos caracteres sexuais masculinos.

 

 

 

 

 

O Homem e sua anatomia oculta – energia espiritual

É a força que emana do espírito e é determinante do decurso de vida do ser humano sobre a Terra.

A Energia Espiritual tem relação com a energia magnética, pois as duas realizam funções interligadas, a magnética mantém a estrutura dos campos elétricos e energéticos, formadores da matéria, e a espiritual ativa as funções orgânicas e vegetativas do corpo.   A perda da energia magnética no conjunto vital é uma consequência do desequilíbrio espiritual, que poderá se refletir com o surgimento das disfunções orgânicas. Se o problema for percebido de início, bastará a reposição das energias que se reflitam no corpo bioenergético, através da Cromoterapia, e logo estará restabelecido o equilíbrio, cessando a perturbação. Entretanto, se o desequilíbrio das energias magnética e espiritual atingirem o sistema nervoso pode gerar algumas doenças físicas e, se levados a outros sistemas, é provável a ocorrência de distúrbios neurológicos.

Se o ser humano fosse desprovido de energia espiritual seria igual a todos os demais animais, inteligentes, vivazes, mas sem a capacidade de compreensão, que difere o racional do irracional. 

Existe uma outra energia que influencia a psique e o estado emocional do ser humano, que é a energia-ambiente. Essa energia não faz parte do conjunto de energias formadoras do indivíduo, mas atua como condicionadora. Daí se dizer, muito apropriadamente, que o Homem é um produto do meio.   A energia ambiente forma-se, como um campo magnético, pela energia emanada de cada um dos membros da coletividade, podendo ser positiva ou negativa, conforme as atitudes de solidariedade ou não de seus componentes.  Além disso, notam-se as diferenças entre as latitudes norte e sul, porquanto as latitudes norte têm etnias mais desenvolvidas e ricas do que as etnias de latitudes sul, que são na prática, decorrentes de maior acúmulo da energia geradas pelo campo magnético terrestre, que se desloca continuamente.

Bloqueios Energéticos

Apresentam-se como um dilúvio muito restrito, com energias negativas manifestadas em determinado meio ambiente. Podem ser provocados por pensamentos, palavras e obras, oriundos das atividades do ser humano, todas com qualidades negativas.

Existem três tipos de bloqueios:

- Auto gerados - produzidos pelo próprio ser, confundindo realidades com fantasias e criando mundos impróprios, vão gerar circuitos energéticos negativos, por mecanismo de repetição.

- Externos – resultantes de energias ambientais, externas ao ser, que se fixam ou penetram inconscientemente, seja pela sua conduta ou até mesmo pelo seu estado de desequilíbrio energético.

- Dirigidos – provenientes do exterior, mas orientados ou dirigidos para penetrarem em algumas zonas do campo energético, em geral da maneira consciente e mais ou menos inteligente. Trata-se do tipo mais complicado de eliminar.

Os bloqueios mais graves são aqueles que, ao atingirem intensamente o corpo físico, se refletem nos chacras principais, podendo desenvolver fobias, problemas mentais e, ainda que discutível, a esquizofrenia.

O homem e seus Corpos

Deus colocou o Homem no Centro do Macrocosmo, soprando-lhe a centelha Divina, que se constitui na essência de sua vida interior. Apesar de ser o homem composto de matéria e espírito, seu corpo é somente o invólucro material dessa faísca Divina. Criando o homem apenas à Sua imagem, Deus deixou-o livre para escolher caminhos e para transcender a si mesmo, a suas    contradições internas, suas inclinações, sendo capaz de atingir as alturas e as profundezas espirituais. Deixou-o livre para se afastar ou se aproximar Dele. No homem, a busca de si mesmo, de seu “eu verdadeiro”, inicia-se com o primeiro vislumbre de consciência e perdura até o último fôlego.

Todo homem anseia imbuir sua existência de sentido e objetivo, mas a realidade física em sua volta, bem como seus medos e desejos, interferem em sua percepção. Às vezes, ao acelerar o ritmo de sua vida para obter as coisas que deseja, acaba relegando para um segundo plano a procura do eu verdadeiro, não percebendo que pode aprender que a realidade é um todo no qual o visível e o invisível, o material e o espiritual se misturam e se unem. Nossa alma é repleta de sabedoria, mas ao nascimento, um anjo “arquiva” todo esse conhecimento em nosso inconsciente. E, assim, no decorrer da vida devemos “reaprender” esta sabedoria, transformando-a em realizações.

O homem criado à “imagem de Deus” é um microcosmo, seus poderes, e as qualidades básicas da mente e da emoção humana são o reflexo das “Qualidades” usadas por Deus para criar e governar Sua criação. As faculdades mentais do homem refletem o Intelecto que Deus usou para criar o mundo e, desta forma, o homem tem a capacidade de compreender as leis e a lógica da Criação.

A Espiritualidade ensina que a busca do “eu verdadeiro” deve trilhar o caminho da alma, pois esta é a verdadeira essência do homem, sua parte infinita, seu eu inapreensível. É quem nos dá a vida. É o centro espiritual, a parte do ser que ama, sente, percebe. É a fonte de energia inesgotável que permite criar, verbalizar, conectar-se com os outros em nossa volta e se manifesta através da mente, das emoções e dos atos. O homem é  composto das mesmas “forças fundamentais”, da mesma “matéria prima” através das quais Deus deu forma e conteúdo à Sua Criação.

A Alma do homem – a Centelha Divina é o “cordão umbilical” que transcende todos os universos, e nos liga ao Infinito, Portanto, pode-se dizer que a alma do homem é o “cabo condutor” através do qual fluem e se individualiza a Vida.

O homem está ligado a um sistema de mundos superiores, apesar de este sistema não lhe estar revelado. Cada um de é composto por fluxos espirituais de energia que definem nossa personalidade. Através de nossas ações e como resposta a estas, que estabelecemos (ou não) um equilíbrio entre o espiritual e o material nossa mente e nossas emoções, assim como entre nós e o mundo que nos cerca. A jornada mística da busca do ‘eu verdadeiro’ se inicia com a conscientização deste fato espiritual da vida.

 

 

Faculdades Espirituais do Homem

Clariaudiência

Cada pessoa pode, pelo treinamento, tornar-se clariaudiente até certo ponto, pelo menos. A Clariaudiência está governada por regras semelhantes àquelas esboçadas para a clarividência. Nos recém-nascidos, a audição é o primeiro sentido adquirido, depois o tato, em seguida a visão. Observe isto, porque tem relação com o desenvolvimento espiritual. Há um velho dito hermético que diz: “Tal como em cima, tal é embaixo, assim como é embaixo, tal é em cima” e a experiência ensina-nos a verdade disto em ambos os sentidos, esotérico.

Muitos pensam que eles ouvem o que é conhecido nos círculos espiritualistas como voz direta, eles estão obtendo uma mensagem clara e pura dos seus amados no mundo espiritual, porque nenhum instrumento humano é utilizado. Mas isto não é assim, pois a voz percebida pelo assistente, embora aparentemente não tenha conexão com o físico, é de fato produzida pela garganta e órgão vocal  etérico do médium. Assim, a voz direta, embora percebida por um sentido físico e aparentemente não relacionada com os órgãos da fala, necessita do corpo etérico do médium, a fim de produzir som, e pode, dessa forma, ser matizada pela mentalidade do médium.

Nesses casos, o centro laríngeo do médium é utilizado. Este centro está imediatamente relacionado com a clariaudiência. Você pode testar quando estiver meditando. Concentre-se no seu centro laríngeo e você se surpreenderá escutando, e quando tiver aprendido o poder do silêncio, a quietude do espírito, ficará maravilhada em descobrir que sua audição espiritual se intensificou.  À parte da Clariaudiência do tipo etérico já aludida, consideremos a Clariaudiência espiritual, o poder de ser receptivo aos sons sagrados ou vibrações do mundo do espírito puro. Todos podem se tornar receptivos à voz do espírito puro. Ela fala como pequenina e tranqüila voz interior, a qual é chamada - a voz da consciência.

Você não acha estranho que embora vocês todos almejem ouvir a voz do espírito, provavelmente a última coisa que querem ouvir é a voz da consciência? Vocês, com muitas desculpas, silenciam-na, mas, em escutar essa voz se fundamenta o caminho verdadeiro para a clariaudiência, ou “claro ouvir”.

Quanto mais severos vocês sejam consigo, com o eu exterior, a mente externa, subjugando a personalidade de modo a que a voz interior ou a voz da consciência possa ser ouvida, mais rapidamente progredirão à Clariaudiência. Vocês poderiam se considerar como uma caixa de ressonância capaz de responder às vibrações dos mundos elevados. A mente pode interpretar o som de dentro do silêncio, que vem a vocês do mundo do espírito puro, e do mundo astral elevado. O primeiro passo é aprender a escutar. Não tema, ignore ou silencie aquela voz interior. Admita-a, receba-a com alegria. Admita-a mesmo quando ela lhe diga que você está errado. Seja grato ao fato de que você possa reconhecer a voz da consciência, pois através dela você desenvolverá uma caixa de ressonância tão genuína que poderá escutar o cantar dos anjos.

Intuição

A palavra intuição vem do latim “intuire”, que significa ver por dentro. É, dessa forma, uma sabedoria interior, uma inteligência que permite resoluções ou elaborações por meio da visão interior, embora o conceito de intuição varie um pouco conforme a linha de pensamento. Alguns pesquisadores consideram que, a intuição é uma capacidade interior de perceber possibilidades, provavelmente uma condensação de uma ou mais linhas de pensamento racional, num único momento, em que a mente reúne rapidamente uma gama de conhecimentos e passa para a conclusão, que é a parte do processo que ele recorda. Muitas vezes, a intuição condensa anos de experiência e de aprendizado num clarão instantâneo.

Muitas pessoas se arrependem, por vezes de não terem seguido sua intuição, em determinados momento da vida. Porém, o arrependimento é fruto de um resultado insatisfatório. Será que, se o resultado fosse satisfatório elas se lembrariam que não seguiram a intuição, admitindo para si mesmas que a intuição estava errada? Concluímos que, por condensar uma série de conhecimentos, a intuição tem grande probabilidade de estar certa, mas isso não significa que estará sempre certa. Outra questão é quanto ao fato de confundirmos medos, pressentimentos e até mesmo superstições com intuição.

É necessário considerar as diferenças entre intuição, insight, pressentimento e presságio O pressentimento seria uma impressão ou sentimento de que um fato irá ocorrer. Já o presságio é um fato a partir do qual se supõe que ocorrerá um evento não relacionado a ele, ou seja, o que se costuma chamar de sinal.

Telepatia

Telepatia [do grego têle + pat- + -ia] – Transferência de  pensamentos emoções de pessoa para pessoa, sem o emprego dos sentidos conhecidos. Kardec usou a expressão telegrafia humana, significando a comunicação à distância entre duas pessoas vivas, que se evocam reciprocamente. Esta evocação provoca a emancipação da alma, ou do Espírito encarnado, que vem se manifestar e pode comunicar seu pensamento pela escrita ou por qualquer outro meio. É a Faculdade de uma mente se comunicar diretamente com outra, sem a ajuda de sinais visuais ou de qualquer outra linguagem articulada, e sem o envolvimento de qualquer canal dos sentidos. Vista também como habilidade psíquica permite às pessoas receberem e transmitir idéias, imagens, sons ou palavras. A transferência de pensamento é descrita como fenômeno, mas a expressão “telepatia mental” é chamada leitura da mente ou transmissão de pensamento. Alguns cientistas acreditam que nem à distância nem o tempo afetam a telepatia. Desta forma, os pensamentos de uma pessoa poderiam ser recebidos por outra pessoa até mesmo de um país para outro. A telepatia acha-se sob investigação científica, e sua existência é ainda questão aberta. O intercâmbio do pensamento é movimento livre no Universo. Desencarnados e encarnados, em todos os setores de atividade terrestre, vivem na mais ampla permuta de idéias. Cada  mente é um verdadeiro mundo de emissão e recepção e cada qual atrai os que se lhe assemelham. Os tristes agradam aos tristes, os ignorantes se reúnem, os criminosos comungam na mesma esfera, os bons estabelecem laços recíprocos de trabalho e realização.

Viagem Astral

Cada corpo sutil tem um papel específico para executar trazendo informação dos reinos não-físicos ao veículo físico. A responsabilidade de seu corpo astral é atravessar a lacuna entre as experiências que acontecem nos planos astrais e sua realidade física. Embora a maioria não tenha consciência de visitar outros planos astrais, você constantemente visita outros lugares a fim de incorporar ensinos etéricos à sua existência física. Alguns chamam isto de experiência fora-do-corpo, outros chamam de viagem astral. Qualquer que seja a terminologia e se você tem ou não recordação consciente, todo ser humano sadio viaja durante o estado de sono para outros reinos. Algumas pessoas podem estar frustradas porque pensam que não estão recebendo informação de seu espírito guia ou pensam que não sabem como contatar os seres não-físicos. Estas pessoas serão surpreendidas agradavelmente ao saber deste contato noturno. Alguma vez você despertou e tentou abrir seus olhos ou mover seus braços e pernas, mas estava impossibilitado do movimento? Esta é uma situação na qual seu corpo físico despertou antes do retorno de seu corpo astral. Ou, então, alguma vez você teve sonhos onde você sobrevoava o quarto ou pairava em cima de seu corpo dormindo? Este é de fato seu corpo astral dando um alegre passeio antes de retornar ao seu campo físico. Existem sete planos astrais positivos e sete negativos associados com Terra. Os planos astrais que você visita dependem principalmente do estágio de sua alma e seu progresso com seus ensinos espirituais.

Naturalmente, a viagem astral a um plano negativo não é defendida por que o faz vulnerável. Embora você possa levar proteção adequada quando visita o plano negativo, mesmo assim você pode não suportar. Mais ainda, você está batalhando com entidades negativas quando desce ao plano astral negativo, logicamente isto não é uma experiência agradável. Trabalhadores da luz que viajam para planos astrais negativos podem experimentar periodicamente pesadelos que estão tentando refletir suas experiências, ou eles poderiam despertar exaustos, mesmo que tenha dormido uma noite inteira tranqüila. O corpo astral é a chave do seu crescimento espiritual devido à ponte que se constrói entre sua existência na Terra e seu trabalho no mundo não-físico. Freqüentemente, você avalia os outros por aspectos de sua existência diária e julga alguém por sua existência aparentemente inócua que parecem estar conduzindo. Porém, você não tem nenhum conceito do tipo de trabalho que eles fizeram, estão fazendo ou farão no plano astral:

.  Você não tem nenhuma idéia do que a alma contrai o que eles realmente fizeram em termos do suposto papel que realizam durante o corrente tempo de vida. 

.  Você não tem nenhuma visão de onde eles vieram, de que obstáculos eles criaram para melhorar seu propósito e aumentar sua experiência, ou aonde eles vão.
Entenda que todo o mundo está aprendendo no nível da alma, embora isto pareça não estar sendo integrado em sua existência terrestre. Julgar o progresso dos outros, não aceitar suas tentativas de evolução, só serve para criar blocos em sua própria evolução. Na transição deste plano ao término de sua vida física, você de fato extrai o seu corpo astral do seu corpo físico. Essencialmente, o corpo astral age como o vínculo conectando de vida para vida. Embora a maioria se refira a esta energia como a alma. Entre reencarnações, você freqüenta uma escola astral em um dos sete planos positivos, revisa experiências passadas e aprende os ensinamentos de várias escolas de “mistério” e sociedades de alma. Aqueles que viveram experiências próxima-da-morte e se viram caminhando através da luz, de fato estavam movendo seu corpo astral. Quando  contudo determinam que não era hora para passar ao outro lado, eles dirigiram seu corpo astral de volta ao corpo físico. Desde que nós mantemos o nosso corpo astral depois de deixar o corpo (campo) físico, é até mesmo mais crítico curar algum dano que poderia residir neste corpo para manter completa sua capacidade enérgica. Alguns de vocês desenvolveram dano em seu corpo astral devido a vidas passadas que não sustentaram a integração de suas aprendizagens do espiritual para físico. Estes bloqueios impedem sua habilidade para transferir facilmente suas experiências noturnas em todos os seus dias de vida.
Se você sente separado da energia do Criador ou freqüentemente se sente frustrado ou bravo porque parece que você não pode aplicar sua perspectiva espiritual para sua existência diária, você pode ter algum dano espiritual e devem realizar sua cura, através de mantras, orações.

Clarividência

Existe uma diferença entre a vidência que é uma faculdade que é quase sempre, o efeito de uma crise momentânea e passageira, é protegida por filtros que são defesas psíquicas do médium, fazendo com que ele veja aquilo que seja possível. Há os que gozam dessa faculdade em estado normal, quando estão perfeita e, outros não a tem senão em estado sonambúlico ou próximo ao sonambulismo e a Clarividência que é ver com clareza com os olhos da alma, a realidade em um nível avançado, é uma das faculdades do homem e que requer autoconhecimento e crescimento interior. O clarividente possui o Chacra do terceiro olho (também conhecido como Chacra frontal) mais desenvolvido que uma pessoa comum, por isso a facilidade de ver além do mundo físico.

Existem dois tipos de clarividência. A clarividência positiva, voluntária, é quando o indivíduo é capaz, à sua vontade, de ver e investigar os mundos internos, onde é senhor de si mesmo e sabe o que está fazendo. Este tipo de clarividência é desenvolvido através de uma vida pura e de serviço, e a pessoa precisa ser cuidadosamente treinada para saber usá-la, para que ela seja verdadeiramente eficaz e útil. Clarividência involuntária, negativa, é quando as visões dos mundos internos são apresentadas a uma pessoa independente de sua vontade; ela vê o que lhe é dado ver e não pode, de maneira alguma, controlar esta visão. Esta clarividência é perigosa, deixando a pessoa aberta para ser dominada por entidades desencarnadas que, se puderem, fazem com que a vida da pessoa, neste mundo e no próximo, não lhe pertença inteiramente.

Um método seguro para desenvolver a clarividência é a meditação. Por meio dela, pode-se adquirir extrema sensitividade, equilíbrio, sanidade e saúde. A prática de determinados tipos de meditação constrói níveis superiores de matéria nos corpos sutis.

Para obter êxito na meditação é fundamental a correta colocação dos olhos, que devem ficar voltados para dentro e para cima. Nessa situação, estamos focalizando um espaço interior da aura, localizado à frente da testa, chamado de papila ou ponto cego. Trata-se de região em que não há células sensíveis à luz, apenas terminais nervosos. Quando os olhos são virados para dentro e para cima, as papilas emitem suas energias diretamente através do Chacra Frontal, um exercício muito profundo para trazer agilidade à visão etérica

Para manter os olhos nessa posição é preciso exercitar os músculos que o movimentam. Durante uma semana, duas vezes por dia, gire os olhos 10 vezes em sentido horário e 10 em sentido anti-horário; em seguida, fixe-os por alguns instantes nos extremos das órbitas (cima, baixo e lados).

Recordação de Vidas Passadas

Caminhar rumo à transcendência de nossas vidas, desde que seja de nosso desejo não é delito. Desde que nosso sistema nervoso esteja equilibrado não é perigoso e nos ajudará no autoconhecimento, bem como descobrir nossas existências anteriores e trabalhar melhor com nosso Karma atual. É aconselhável que antes de inquirir vidas passadas o ser busque recordações da vida atual, desde a fase uterina, pois dessa forma poderás distinguir se os traumas foram ocasionados nesta encarnação, ou os carregamos desde as anteriores. Você deve, antes de dormir, desejar lembrar,  despertando a consciência, inquirindo e buscando as respostas que mostrará quem fomos e o que ocorreu, tendo dessa forma oportunidades de corrigir erros passados e não repeti-los nesta encarnação.Muitas vezes veremos imagens nítidas de outros tempos e sentiremos tudo como se fosse de carne e osso. Em outros momentos, tudo será uma grande confusão mental, sem lógica alguma. De qualquer forma, sugerimos que pela manhã, logo após acordar, você deve anotar absolutamente tudo o que você puder recordar de seus sonhos.

Polividência

É a virtude dos atletas da meditação, dos adeptos do Êxtase Espiritual. O Chacra coronário, o do topo da cabeça, é a porta de entrada e saída da Essência. A polividência é a capacidade da nossa consciência, ou Essência, desligar-se completamente de seus sete corpos e penetrar na Realidade Única, na essência profunda e na razão de ser das coisas. Todas as sete cores ao mesmo tempo.

Tanto, Macrocosmo como o Microcosmo, passa por pesquisas, análises, reciclagens, aprimoramento, tecnologia. Mas, existe um elo consciente entre a ciência e a religião. Sempre, que somos influenciados pelas descobertas da ciência, buscou um raciocínio lógico e racional para entender os acontecimentos e as coisas que nos cercam.  Essa regra é válida para a comprovação científica de todos os fatos sujeitos às leis naturais e universais que conhecemos. Se os queremos ainda que esse raciocínio seja comprovado através de experimentos cujos  fatos se enquadram à essas regras temo-os por verdadeiros. Se essas regras enquadram todos os fatos e acontecimentos, afirmamos serem universais. Os ensinamentos místicos também devem ser aplicados para explicar o que acontece no cosmos, na natureza e no homem. Porém não possa, tanto quanto os fenômenos sociais ou psíquicos, serem repetidos quando desejamos. A sua veracidade se dá por analogia e por depoimentos, na  medida em que estes estejam enquadrados às regras místicas propostas e não discordem do que já foi comprovado pela ciência

As leis e os ensinamentos místicos devem ser de aplicação geral, portanto, serem aplicados no nosso cotidiano auxiliando-nos a entender as relações com o universo que nos cerca. Para isso precisamos conhecer o conjunto dos ensinamentos de uma escola filosófica ou mística. Se não possuirmos o conjunto dos ensinamentos que fundamentam esta escola mística, teremos dificuldade para entender e analisar os acontecimentos dentro desta ótica. Se todos os fatos ou tudo que conhecemos puder ser explicado pelos fundamentos que aprendemos, podemos afirmar que seus ensinamentos são verdadeiros e universais. O homem tem que ser doutrinado como microcosmo que, a Providência Divina ordenou aos quatro elementos do qual é composta a matéria (ar, água, terra e fogo) a levar ordem e harmonia ao Cosmos e, ao término desta criação, este homem é plasmado com aquilo que resta dos quatro elementos e então advêm como síntese (microcosmo) do cosmo inteiro, com o qual cria uma afinidade que consente uma série infinita de correspondências entre o homem e a natureza. Ao aceitar esta doutrina o homem estará apto a praticar a Magia Natural, interna e externamente, pois aprenderá a conhecer o equilíbrio entre o macro e o microcosmo.

 

 

Os Corpos Sutis

 

O ser humano é regido por um campo eletromagnético ao redor do corpo material e conseqüentemente dos outros corpos supra- físicos, que perfazem, um total de 32, em realidades dimensionais distintas, todos ligados à essência do EU SOU. Esses corpos sustentam uma linha tênue, mas poderosa de energias eletromagnéticas, que têm conotação de interpelação dos campos de sustentação da alma dentro da materialidade, nos diferentes níveis de energia. Ou seja, sabemos que pelas descobertas científicas, já foram registrados sete corpos sombreados nos estudos dos átomos e de seus núcleos e diversas partículas que eles emitem. Portanto, os corpos sutis de um ser humano, planta, animal e cristais, simbolizam universo da anti-matéria. A interação de campos de ondas e partículas de energia pode ser medida e, também confirmado. Isso demonstra que o ser humano depende de uma energia de sustentação sutil, que provém de uma realidade sutil, intangível aos olhos e equipamentos comuns de medição, mas que já foram dimensionados em aparelhos de ultima geração dentro dos aceleradores de partículas.

Portanto a emissão de energia dos corpos sutis tem uma ação direta sobre o corpo material físico com o qual denominamos a nossa realidade existencial. Assim as trocas de energias, entre o corpo físico, astral, emocional, duplo etérico, mental inferior, mental superior, tela búdica, corpo átmico, corpo causal e morontial, são realidades ainda  pouco explicadas, mas aceitas dentro da comunidade espiritualizada e em muitas linhas filosóficas e religiosas.

Sabe-se que toda vez que um corpo sutil fica sobre a ação de energias mais densas, existe uma resposta direta e correlata do corpo físico material., assim podemos explicar inclusive a ação das curas e cirurgias espirituais que ocorrem em milhares de centros espíritas e dentro do próprio Reiki, Cura Quântica, e outras modalidades de tratamentos com energias sutis. Ocorre, portanto, uma interação de energias eletromagnéticas não mensuradas, mas eficazes.

Particularmente nos seres humanos, estas manifestações energéticas que vibram numa frequência acima da velocidade da luz representam à expressão da personalidade, os sentimentos, os pensamentos e os aspectos espirituais.

 

Corpo “Etérico ou Vital”

No momento em que a pessoa se torna ciente do seu corpo por dentro, o segundo corpo automaticamente surge à vista. O segundo corpo será conhecido pelo lado de fora agora. Se você conhecer o primeiro corpo pelo lado de dentro, então se tornará ciente do segundo corpo pelo lado de fora. O segundo corpo, o corpo etérico, é como fumaça condensada. Você pode passar através dele sem qualquer impedimento, mas não é transparente, você não pode olhar para dentro dele do lado de fora. O primeiro corpo é sólido. O segundo corpo é exatamente como o primeiro no que tange à forma, mas não é sólido. Este corpo é formado por éteres:

 

Éter Químico: As forças que produzem a assimilação e a excreção trabalham por meio dele, é o processo pelos quais, diferentes elementos nutritivos do alimento se incorporam ao corpo da planta, do animal e do homem. Essas forças não atuam cega ou mecanicamente, mas de uma forma seletiva, realizando assim a sua finalidade que é o crescimento e a manutenção do corpo. A excreção é efetuada por forças da mesma índole, por meio das quais são expulsos os materiais contidos nos alimentos, que são impróprias para o corpo, ou são expulsos os que já prestaram toda a sua utilidade possível e que, portanto, devem ser eliminados do sistema. Esses processos, como todos os demais que são independentes da vontade do homem, são sábios, seletivos e não puramente mecânicos em sua atuação.

 

Éter de Vida: Assim como o éter químico é o condutor ou meio de atuação das forças que têm como finalidade a manutenção da forma individual, o éter de vida é o meio de operação das forças que têm como meta a manutenção das espécies, a força de propagação. O éter de vida tem polos positivos e negativos. As forças que trabalham através do polo positivo são as que atuam na fêmea durante o período de gestação, tornando-a assim capaz de efetuar o trabalho ativo e positivo de formar um novo ser. Por outro lado, as forças que trabalham pelo pólo negativo do éter de vida tornam o macho capaz de produzir o sêmen.

 

Éter luminoso: Este éter é também positivo e negativo e as forças que atuam pelo seu pólo positivo são as que geram o calor do sangue dos animais superiores e do homem, as que os convertem em fontes individuais de calor. As forças que atuam pelo pólo negativo do éter luminoso são as que operam através dos sentidos, manifestando-se como função passiva da visão, audição, tato, olfato e paladar. São também os que constroem os olhos e os conservam. Nas plantas, as forças que atuam pelo pólo positivo do éter luminoso produzem a circulação da seiva. No inverno, quando o éter luminoso não está carregado de luz solar como no verão, a seiva deixa de correr até o estil. As forças que atuam pelo pólo negativo do éter luminoso depositam a clorofila e dão cor às flores.

 

Éter Refletor: A imagem mental de uma casa, gerada pela mente do arquiteto, pode ser recuperada, tomando-a da memória da natureza, ainda mesmo depois de falecido o arquiteto. É que todo conhecimento deixa após se uma destrutível imagem neste éter refletor. Assim como as samambaias gigantescas da infância da Terra deixaram sua marca no carvão petrificado, assim como a marcha dos glaciais que podem ser observadas pelos sinais que deixa nas rochas, assim os pensamentos e atos dos homens ficam gravados indelevelmente pela natureza no éter refletor no qual o clarividente treinado pode ler sua história ou uma exatidão proporcional à sua habilidade. O éter refletor é assim denominado por mais uma razão: as recordações ou imagem que nele se encontram são apenas reflexos da memória da natureza. A memória da natureza encontra-se em um reino muito mais elevado. Este éter é o agente pelo qual o pensamento faz impressão sobre o cérebro humano.

 

Neste corpo encontramos os sete principais centros de energia denominados CHACRAS. Estes centros estão ligados pelos meridianos médios da acupuntura, ou condutores de energia, do corpo físico: o vaso da concepção, que se encontra na parte da frente, e o vaso governador que percorre a medula espinhal pela parte de trás, estão ligados uns aos outros por canais energéticos sutis, na Índia chamados,  Nadis.

Os Corpos Sutis

O ser humano é regido por um campo eletromagnético ao redor do corpo material e consequentemente dos outros corpos supra- físicos, que perfazem um total de 32, em realidades dimensionais distintas, todos ligados à essência do EU SOU. Esses corpos sustentam uma linha tênue, mas poderosa de energias eletromagnéticas, que têm conotação de interpelação dos campos de sustentação da alma dentro da materialidade, nos diferentes níveis de energia. Ou seja, sabemos que pelas descobertas científicas, já foram registrados sete corpos sombreados nos estudos dos átomos e de seus núcleos e diversas partículas que eles emitem. Portanto, os corpos sutis de um ser humano, planta, animal e cristais, simbolizam universo da antimatéria. A interação de campos de ondas e partículas de energia pode ser medida e, também confirmado. Isso demonstra que o ser humano depende de uma energia de sustentação sutil, que provém de uma realidade sutil, intangível aos olhos e equipamentos comuns de medição, mas que já foram dimensionados em aparelhos de ultima geração dentro dos aceleradores de partículas.

Portanto a emissão de energia dos corpos sutis tem uma ação direta sobre o corpo material físico com o qual denominamos a nossa realidade existencial. Assim as trocas de energias, entre o corpo físico, astral, emocional, duplo etérico, mental inferior, mental superior, tela búdica, corpo átmico, corpo causal e morontial, são realidades ainda  pouco explicadas, mas aceitas dentro da comunidade espiritualizada e em muitas linhas filosóficas e religiosas.

Sabe-se que toda vez que um corpo sutil fica sobre a ação de energias mais densas, existe uma resposta direta e correlata do corpo físico material, assim podemos explicar inclusive a ação das curas e cirurgias espirituais que ocorrem em milhares de centros espíritas e dentro do próprio Reiki, Cura Quântica, e outras modalidades de tratamentos com energias sutis. Ocorre portanto, uma interação de energias eletromagnéticas não mensuradas, mas eficaz.

Particularmente nos seres humanos, estas manifestações energéticas que vibram numa frequência acima da velocidade da luz representam à expressão da personalidade, os sentimentos, os pensamentos e os aspectos espirituais.

Corpo “Etérico ou Vital”

No momento em que a pessoa se torna ciente do seu corpo por dentro, o segundo corpo automaticamente surge à vista. O segundo corpo será conhecido pelo lado de fora agora. Se você conhecer o primeiro corpo pelo lado de dentro, então se tornará ciente do segundo corpo pelo lado de fora. O segundo corpo, o corpo etérico, é como fumaça condensada. Você pode passar através dele sem qualquer impedimento, mas não é transparente, você não pode olhar para dentro dele do lado de fora. O primeiro corpo é sólido. O segundo corpo é exatamente como o primeiro no que tange à forma, mas não é sólido. Este corpo é formado por éteres:

Éter Químico: As forças que produzem a assimilação e a excreção trabalham por meio dele, é o processo pelos quais, diferentes elementos nutritivos do alimento se incorporam ao corpo da planta, do animal e do homem. Essas forças não atuam cega ou mecanicamente, mas de uma forma seletiva, realizando assim a sua finalidade que é o crescimento e a manutenção do corpo. A excreção é efetuada por forças da mesma índole, por meio das quais são expulsos os materiais contidos nos alimentos, que são impróprias para o corpo, ou são expulsos os que já prestaram toda a sua utilidade possível e que, portanto, devem ser eliminados do sistema. Esses processos, como todos os demais que são independentes da vontade do homem, são sábios, seletivos e não puramente mecânicos em sua atuação.

Éter de Vida: Assim como o éter químico é o condutor ou meio de atuação das forças que têm como finalidade a manutenção da forma individual, o éter de vida é o meio de operação das forças que têm como meta a manutenção das espécies, a força de propagação. O éter de vida tem polos positivos e negativos. As forças que trabalham através do polo positivo são as que atuam na fêmea durante o período de gestação, tornando-a assim capaz de efetuar o trabalho ativo e positivo de formar um novo ser. Por outro lado, as forças que trabalham pelo polo negativo do éter de vida tornam o macho capaz de produzir o sêmen.

Éter luminoso: Este éter é também positivo e negativo e as forças que atuam pelo seu polo positivo são as que geram o calor do sangue dos animais superiores e do homem, as que os convertem em fontes individuais de calor. As forças que atuam pelo polo negativo do éter luminoso são as que operam através dos sentidos, manifestando-se como função passiva da visão, audição, tato, olfato e paladar. São também os que constroem os olhos e os conservam. Nas plantas, as forças que atuam pelo polo positivo do éter luminoso produzem a circulação da seiva. No inverno, quando o éter luminoso não está carregado de luz solar como no verão, a seiva deixa de correr até o estil. As forças que atuam pelo polo negativo do éter luminoso depositam a clorofila e dão cor às flores.

Éter Refletor: A imagem mental de uma casa, gerada pela mente do arquiteto, pode ser recuperada, tomando-a da memória da natureza, ainda mesmo depois de falecido o arquiteto. É que todo conhecimento deixa após se uma destrutível imagem neste éter refletor. Assim como as samambaias gigantescas da infância da Terra deixaram sua marca no carvão petrificado, assim como a marcha dos glaciais que podem ser observadas pelos sinais que deixa nas rochas, assim os pensamentos e atos dos homens ficam gravados indelevelmente pela natureza no éter refletor no qual o clarividente treinado pode ler sua história ou uma exatidão proporcional à sua habilidade. O éter refletor é assim denominado por mais uma razão: as recordações ou imagem que nele se encontram são apenas reflexos da memória da natureza. A memória da natureza encontra-se em um reino muito mais elevado. Este éter é o agente pelo qual o pensamento faz impressão sobre o cérebro humano.

Neste corpo encontramos os sete principais centros de energia denominados CHACRAS. Estes centros estão ligados pelos meridianos médios da acupuntura, ou condutores de energia, do corpo físico: o vaso da concepção, que se encontra na parte da frente, e o vaso governador que percorre a medula espinhal pela parte de trás, estão ligados uns aos outros por canais energéticos sutis, na Índia são chamados, Nadis.

Chacras 

Chacra é a denominação Sâncrita (roda) dada aos centros de força existentes nos corpos espirituais do homem. Quando os Chacras estão inativos assemelham-se a rodas; quando despertam, eles tomam a aparência de uma flor (lótus) aberta, irradiante, colorida pela frequência da energia das pétalas. Define-se o Chacra como o local “onde os Nádis se encontram como os raios no cubo de uma roda de carruagem”. Os centros são formados pelo encontro destas linhas de força do mesmo modo que os plexos, no corpo físico, são formados pelo encontro de nervos. Existem centros maiores, aqueles que resultam do encontro de um número maior de Nádis e os centros menores em que a confluência é menor. Entre estes últimos existem 21 formados pelo encontro de 14 Nádis e outros bem menores formados pelo cruzamento de sete. Os Chacras dividem-se em três grupos: inferiores, médios e superiores, conforme a sua localização e finalidade e podem denominar-se,  respectivamente, como fisiológicos, pessoais ou espirituais Embora nossa condição tridimensional de vida esteja ligada aos sete Chacras principais, existem na verdade milhares, cada um é valioso e serve a diversas finalidades. Uma área, aliás, fascinante e especialmente rica em Chacras, concentra-se entre frontal e o coronário, servem à finalidade de misturarem-se no coronário, acelerando assim, nossa ascensão espiritual.

Nádis e Meridianos

Os Nádis são linhas de força que não devem ser confundidas com os nervos do corpo físico, embora estejam em relação com eles, como os Chacras estão em relação com os plexos e órgãos do corpo físico. São condutores de energia e, estudos indicam que eles podem ser comparados aos meridianos sobre os quais trabalha a acupuntura. No corpo etérico, denominado também de corpo físico invisível, porque nasce com o corpo físico e com ele desaparece. Os Nádis se apresentam como se fossem milhares de finos filamentos de gás néon, entrecruzando-o em toda sua extensão.

O número deles difere na literatura hindu, pelo que se atribui um caráter esotérico às quantidades apontadas: 72.000, 550.000, 720.000, etc. Os mais importantes são Sushumna, Ida, Pingala, sendo que o Sushumna domina a todos os demais.

      

Ida, Pingala, Sushumna.

Para que se possa ter uma noção desses três Nádis ao longo da coluna vertebral, tomemos uma série de números “8” e os coloquemos em posição horizontal, empilhando-os ao longo da coluna vertebral. Teremos então uma figura semelhante à serpente no caduceu de Mercúrio. A Nadi que sobe pela esquerda é a Ida, o da direita, o Pingala. Não estão, porém, dispostos de forma paralela, se entrecruzam.

No centro corre um canal: é a Nádi Sushumna. Ao longo da coluna vai formando uma série de confluências, das quais a mais importante é a existente no Chacra frontal, onde desembocam. Ida e Pingala estão sempre ativas, mas o Sushumna permanece inativo, pois o prana ainda não circula através dele. Em seu interior acham-se três outros nádis: o Vajna, o Chitrini, dentro do qual se encontra a Brahma nádi, ao longo do qual se elevará a energia kundalini.

Prana

É exclusivo da ciência oriental, que ainda não foi aceito no ocidente. O prana não é forma particular de energia e sim a essência última de todas elas: calor, eletricidade, luz, gravidade; enfim todas as forças que movem à matéria, em suas múltiplas atividades, são expressões do Prana, chamado também de fluido ou energia universal, existe no plano sutil e se constitui na força vital do universo. Compõe o corpo sutil do homem e regula as relações que se desenvolvem dentro do indivíduo e as que se realizam entre este e o mundo. É o substrato vital, energético de todas as funções orgânicas e psíquicas. Tal como a energia elétrica, o tem também as polaridades. O positivo se chama Ida e o polo negativo, Pingala, pode ser acumulado, transformado e conduzido. O homem extrai esta energia do sol, do ar, dos alimentos, etc. Esta energia atua através da respiração. Cada vez que inspiramos, absorvemos Prana e a cada expiração, distribuímos pelos vários órgãos do corpo sutil. Eles circulam por vários Nádis, ou nervos sutis e vão armazenar-se nos diversos Chacras ou centros de força que distribuem esta energia por todo o corpo. A quantidade de Prana que é absorvida pelo homem, em maior ou menor grau, constitui seu verdadeiro capital energético. Daí a importância de vivermos em lugares mais saudáveis, sem poluição e ensolarados, absorvendo maior quantidade desta maravilhosa energia.

No corpo humano existem cinco diferenciações do Prana:

- PRANA: estende-se do nariz ao coração e influência particularmente a garganta e a palavra, o coração e os pulmões.

 - SAMANA: estende-se do coração ao plexo solar e age, sobretudo, sobre o poder de assimilação do alimento e da bebida. Está deste modo, em estreita relação com o estômago.

- APANA: é particularmente ativo desde o plexo solar até a planta dos pés e age sobre os órgãos de eliminação, de dejeção e da geração. Seu poder está, pois, fortemente unido aos órgãos geradores e eliminadores.

 - UDANA: está situado entre o nariz e a parte superior do crânio. Estão em relação com o cérebro, os olhos e o nariz.

 - VYANA: corresponde à soma total das energias prânicas tal como é repartida através de todo o corpo por intermédio de milhares de Nádis e nervos, assim como dos canais sanguíneos, das veias e das artérias.

Os Chacras Etéricos

Cada um dos veículos, seja etérico, astral ou mental contém sete centros de força principais, denominados Chacras (rodas), nome tirado do sânscrito, pois tanto no formato quanto no tipo de movimento, lembram uma roda em cujo centro gira estruturas em forma de pétalas. Desse modo, cada chacra assemelha-se a uma flor cujas pétalas estão em movimento constante e harmônico. Os etéricos, em número de sete, exercem uma forte influência sobre a saúde do corpo físico e etérico, possuem suas contrapartes nos níveis astral e mental. Através desses centros ou órgãos supra-físicos as energias dos diferentes corpos são sincronizadas e distribuídas ao corpo físico. Eles são mais ou menos ativos no nível astral, no mental e (até certo ponto) nos níveis ainda mais elevados, nos quais desempenham diferentes papéis, sendo, contudo de fundamental importância no nível etérico, onde funcionam como instrumento para a concentração de energia no corpo. Estão envolvidos nas constantes mudanças que ocorrem nos corpos físico, etérico emocional e mental, são ao mesmo tempo transmissores e transformadores de energia de corpo para corpo, uma vez que seu mecanismo sincroniza as energias emocionais, mentais, etéricas. Eles aumentam ou reduzem a energia, moderam ou aceleram sua atividade, de um corpo para outro, de modo que a energia mais rápida do corpo emocional possa afetar a energia mais lenta do etérico, e vice-versa.

Os Chacras são como vórtices que giram e pulsam rápida e ritmicamente, e recolhem energia em seus núcleos num fluxo condensado, dispersando-a ao longo da periferia das suas pétalas sob a forma de espirais cada vez mais amplas. A torrente de energia oriunda do campo geral jorra sobre os Chacras, produzindo um movimento giratório em virtude do seu padrão de organização. Esse fluxo, não afeta, contudo sua estrutura geométrica básica, que permanece constante. Os Chacras são vórtices que concentram a energia dentro dos corpos sutis do mesmo modo como os remoinhos são formações que ocorrem dentro da água e com a água. Por conseguinte, qualquer alteração importante no campo de energia aparece imediatamente nos Chacras.

No caso, por exemplo, de uma pessoa emocionalmente perturbada, essa energia atravessa os corpos etérico e o emocional, afetando órgãos como os rins. Inversamente, quando o corpo está estressado, uma parte do fluxo exterior que parte do etérico e passa pelos Chacras afeta por sua vez o campo emocional.

Chacras Maiores – Enumeração

Os Chacras maiores são em número de sete:

1.Centro básico ou fundamental

2.Centro sacro ou sexual (genésico)

3.Centro solar ou umbilical (gástrico)

4.Centro cardíaco

5.Centro laríngeo

6.Centro frontal ou cerebral

7.Centro coronário

 

Em sânscrito:

1.            Muladhara (Raiz).

2.            Swadhisthana (Morada do Sol).

3.            Manipura (Cidade das Jóias).

4.            Anahata (ANA=Nó+HATA=soar, vibrar, ponto de vista).

5.            Vishuddha (Pureza, Purificado).

6.            Ajna (Comando, Autoridade).

7.            Sahashara (Lótus das Mil Pétalas).

 

Chacras Menores

Os centros menores, em que os Nádis se cruzam 14 vezes, são em número de 21, assim dispostos:

-dois em frente às orelhas, próximo da articulação do maxilar;

-dois justamente acima dos peitos (nos mamilos);

-um na junção das clavículas, próximo da glândula tireoide. Com os dois centros dos peitos, eles formam um triângulo de força;

-dois (um) em cada palma da mão;

-dois (um) em cada planta do pé;

-dois (bem) atrás dos olhos;

-dois em ligação com as gônadas;

-um próximo ao fígado;

-um em conexão com o estômago; está, pois, ligado ao plexo solar, mas sem lhe ser identificado;

-dois em conexão com o baço, os quais não formam, em realidade, mais que um centro, composto, porém, de dois centros superpostos;

-dois (um) na cavidade de cada joelho;

-um centro extremamente poderoso em conexão estreita com o nervo vago.

-certas escolas esotéricas o consideram como um centro maior. Ele não está na espinha dorsal, mas não está muito distante do timo;

-um centro próximo do plexo solar. Ele liga este último ao centro básico e forma, assim, um triângulo.

 

O Chacra Alto-Maior

O centro cefálico alto-maior é exteriorizado à medula alongada, achando-se no bulbo raquidiano, colocado mais exatamente no cume da medula oblongada. Poucas coisas podem ser ditas sobre este centro que não está ativo, salvo nos altos iniciados e adeptos da sabedoria. Nos seres avançados, o cérebro tornou-se um transmissor ou um receptor perfeito da energia da vida. Para transmissor de energia da vida, é a glândula carótida governada por alto-maior, à qual diz respeito, e quando ele se torna um receptor de energia mental é o centro Ajna que se torna o agente.

A tradição oriental indica que quando um homem tornou-se um adepto, tendo unificado sua personalidade e a alma, somente neste momento lhe é possível agir sobre a energia para despertar o fogo kundalini que dorme nas profundezas das vértebras sagradas. Deste modo, a energia projetada para baixo deve passar por alto-maior, descer ao longo da medula espinhal e unir-se às duas correntes em expectação. A revelação unificada destas três forças determinará, então, a abertura e atividade de todos os centros, deste modo: o canal central unido ao centro coronário e os dois outros canais unidos, um ao Ajna, o outro ao alto-maior.

 

Bindu VISARGHA (queda da gota).

O Bindu, (gota ou ponto), é um centro menor  localizado na parte superior do cérebro, na direção da parte posterior da cabeça. Ali se encontra uma leve depressão ou fossa, dentro da qual existe uma pequena elevação, local exato do Bindu, na estrutura fisiológica. Tanto o Bindu quanto o lalanâ, estão conectados com o centro laríngeo. Os Chacras menores, em geral, ao contrário dos sete maiores, não são chamados de “Chacras de despertar”, mas, encontrando-se ligados a esses, seu despertar dá-se conjuntamente. O funcionamento harmonioso desses três Chacras proporciona ao indivíduo a capacidade de subsistir longo tempo sem água, alimento ou ar. O Bindu reduz, inclusive, o metabolismo do corpo, fato comprovado pela falta de crescimento de cabelo nos Monges em estado de reclusão,  não é idêntico aos Chacras, seu símbolo é a lua cheia ou a luz.

Influência Recíproca dos Chacras

Os Chacras não estão isolados uns dos outros; eles mantêm uma influencia recíproca. Os inferiores retêm o homem na vida animal, propiciando-lhe, no entanto, as energias necessárias à sobrevivência, enquanto os superiores buscam acelerar a evolução do indivíduo.

Chacras, Formação do Corpo Astral e Evolução.

Os Chacras são responsáveis pela formação do corpo espiritual, vibrando em sintonia uns com os outros, ao influxo do poder diretriz da mente, estabelecem, para nosso uso, um veículo de células elétricas, que podemos definir como sendo um campo eletromagnético, no qual o pensamento vibra em circuito fechado.

Os centros são as causas primárias na formação e na construção do templo do homem ou, em outros termos, do mecanismo da alma. É, pois, normal constatar as dificuldades que têm as glândulas endócrinas de se adaptarem aos ritmos que lhes impõe a consciência objetiva em curso da evolução e particularmente neste século rico de novidades. Mas isto faz parte do plano de evolução e cada um deve estar consciente disso. À medida que a natureza emocional se desenvolve e o intelecto torna-se mais ativo, os centros correspondentes tornam-se igualmente mais ativos e pode-se observar a emergência de determinadas perturbações. Cada centro determina um número de perturbações inerentes à qualidade de sua energia respectiva.

Centros de Consciência

Os Chacras não são simples centros energéticos, mas também, centros de consciência. A esse respeito, enquanto que, de acordo com as concepções ocidentais, o cérebro é a sede exclusiva da consciência, a experiência do Monge mostra que nossa consciência cerebral é apenas “uma” entre muitas formas possíveis de consciência, e que esta, de acordo com suas funções e natureza, pode ser localizada ou centralizada em vários órgãos do corpo. Estes “órgãos” que coletam, transformam e distribuem as forças que fluem através deles são chamados de Chacras ou centros de força. Deles irradiam correntes secundárias de força psíquica, comparáveis aos raios de uma roda, às varetas de um guarda-chuva, ou às pétalas de um lótus.  Os Chacras são pontos nos quais as forças dos corpos se interpenetram, por isso, podemos dizer que cada centro psíquico nos quais nos tornamos cônscios desta penetração espiritual torna-se a sede da alma, e que pela ativação ou despertar das atividades dos vários centros nos espiritualizamos e transformamos nosso corpo da coluna vertebral. É uma corrente emocional que une de baixo para cima e também de cima para baixo.

Grandes estudiosos, como Jung interpretam estes vários centros, assinalando o grau de consciência de cada um deles:

-Centro fundamental – mundo dos instintos – consciente.

-Centro sacro – entrada no inconsciente – novo nascimento – batismo.

-Centro umbilical – emoções – paixões – o inferno.

 -Centro cardíaco – começo do self – sentimento – pensamento e valores. Individuação.

-Centro laríngeo – reconhecimento da independência da psique – pensamento abstrato – conceitos – produtos da imaginação.

-Centro frontal – união do Self no todo, não no ego.

-Centro coronário – nirvana.

Os Poderes Psíquicos dos Chacras

O desenvolvimento e a atividade dos centros psíquicos são responsáveis pela aquisição dos poderes de mesma natureza. Algumas palavras tornam-se, pois, necessárias em razão dos perigos que tais poderes podem criar.

Os poderes ocultos têm sido uma das grandes motivações que têm levado mais de um aspirante ao ascetismo e às práticas ocultas. O poder foi e permanece ainda um importante tema de preocupação, e não basta repetir que ele não é um fim em si mesmo ou que sua obtenção não prova, de nenhum modo, um avanço espiritual; o fato permanece atual e hoje, como outrora, numerosos aspirantes nessa senda têm sido profundamente perturbados pelos fenômenos auditivos ou visuais resultantes da prática mística.

É preciso, entretanto, reconhecer que a atração pelos poderes é uma coisa natural, não somente pelo fato de que eles são consequências da evolução, mas ainda porque eles são (ou supõe-se serem), o símbolo de uma superioridade, à qual todos nós aspiramos. Por outro lado, os poderes psíquicos e espirituais têm fortemente chocado o espírito daqueles que, ignorantes da natureza das leis colocadas em ação, os consideram conto verdadeiros milagres, o que certamente eles não são. Todos os grandes seres do passado têm sabido utilizar e manifestar estas possibilidades psíquicas e espirituais. É necessário reconhecer, entretanto, que o fim não era o de exibir sua ciência, mas o de aplicar as leis universais do cosmo, e os poderes que eles possuíam não era mais do que a consequência de sua evolução espiritual e não eram utilizado mais do que como simples, porém maravilhosos instrumentos a serviço de sua missão sobre a Terra. Zoroastro, Orfeu, Gautama Buddha ou seres como Apolônio de Tiana, o mestre Phillipe de Lyon, Cagliostro, ou simplesmente os misteriosos Rosa-Cruzes, todos, sem exceção, foram detentores de uma grande sabedoria, mas igualmente de grandes poderes, demonstrando, desta maneira, que eles tinham transcendido uma parte importante de sua natureza humana. Nos casos citados acima, trata-se de poderes espirituais como expressão direta da alma, poderes que continuam a ser prerrogativa dos seres elevados. É unicamente a estes poderes que se referia o Cristo quando prometeu aos seus discípulos, admirados dos milagres por ele executados, que um dia eles os fariam ainda bem maiores.

Os poderes psíquicos inferiores ou superiores constituem, segundo a opinião esclarecida dos mestres da sabedoria, obstáculos ao estado espiritual mais elevado e o simples fato de interessar-se por eles indicaria, no estudante, uma falta evidente de progresso, porque os poderes não podem ser utilizados sem perigo, senão depois ao abandono total de todo o desejo e paixão terrenos. Sendo assim, no momento em que o discípulo é capaz de pensar em termos de consciência de grupo e de viver profundamente de maneira fraterna e quase inteiramente despolarizada de si, tendo como desígnio imediato o serviço desinteressado, nesse caso unicamente, os poderes tornam-se instrumentos dóceis e úteis ao serviço projetado.                        

Os perigos da aquisição de poderes a serviço de seus próprios interesses têm sido claramente demonstrado  por intermédio do grande yogue Milarepa que havia utilizado (alegoricamente) duas formas de poder. Primeiro aqueles de natureza inferior, na primeira parte de sua vida, e aqueles de natureza superior na segunda parte. Os poderes inferiores são resultantes unicamente das forças e energias (animamundi) de todas as formas, nos três mundos e em todos os corpos, nos quatro reinos da natureza. Estes poderes são a expressão dos centros psíquicos localizados sobre o diafragma. Os poderes superiores resultam da consciência não mais individual, mas coletiva; eles englobam os poderes interiores e colocam cada vez mais o homem em comunhão com as formas de vida que se encontram nos planos superiores da consciência (o reino dos céus). Os efeitos destes poderes superiores são chamados de diversos modos, mas exprime de modo justo, sua natureza, como por exemplo: percepção intuitiva, compreensão espiritual, conhecimento direto.

As tradições orientais têm arrolado, com extrema precisão, os diferentes poderes. A lista dos poderes de natureza inferior seria muito longa, por isso consignaremos somente os oito poderes de natureza superior. Aquele que dominou de modo integral, os oito poderes superiores, recebe o titulo de Siddha, mas convém ser muito prudente no que concerne aos adeptos cuja vida é aquela dos Siddha.

Oito poderes

1 ) ANIMA (exiguidade).  Esta é a faculdade que possui o iniciado de fazer-se tão pequeno quanto um átomo, ou, melhor dizendo, identificar-se com a essência da menor parte do universo de que é ele mesmo constituído. Segundo Leadbeater, este órgão de visão é formado de um pequeno tubo flexível de matéria etérica terminado por uma intumescência em forma de olho, e é este olho que, dilatando-se ou contraindo-se, permite ver o infinitamente grande (Mahima) ou, ao contrário, o infinitamente pequeno (Anima).

2) MAHIMA (magnitude). Este é o poder de aumentar de volume, quer dizer, de alargar o círculo de sua consciência e de alcançar a plenitude do conhecimento do infinitamente grande.

3) GARIMA (gravitação). Isto é relativo ao peso e à massa, e se aplica à lei de gravitação que é um dos aspectos da lei de atração. Um mestre japonês de artes marciais conhece bem esta técnica ao ponto de que ele pode tornar-se tão pesado que um agressor muitas vezes superior em peso e em força não poderá atingi-lo nem um milímetro. Este fenômeno tem igualmente sido observado nos Monges em estado de Samadhi.

4) LAIMA (levitação). Esta é a possibilidade que tem o adepto de tornar-se mais leve que o ar, afastando a força de atração da Terra, e de desligar-se dele. O exemplo mais belo que foi manifestado aos homens é aquele do mestre Jesus Cristo andando sobre as águas.

5) PRAPTI (realizar o objetivo). Aquele que possui este poder tem a capacidade de atingir seus fins projetando sua consciência em todos os lugares que ele julga necessários, quer estejam sobre o plano físico ou sobre o plano cósmico. Este poder foi sempre muito utilizado pelos místicos do mundo inteiro. Este é o poder que utilizou Jesus para ensinar seus discípulos depois da crucificação.

6) PRAKAMYA (a vontade irresistível). Este poder confere ao iniciado a possibilidade de ver se realizar todos os seus desejos pela força da vontade divina, quando esta vontade substitui, em parte, a vontade pessoal e seus desejos estão em perfeita harmonia com o plano divino. A perfeição do poder têm sido atingida pelo mestre Jesus, quando, no momento de beber a taça amarga, exclamou para o Pai: “Que a Tua vontade seja feita, e não a minha”. Segundo Sivananda, o yogue provido deste poder é capaz de permanecer sob a água durante o tempo que ele deseje.  É isto que fez, se bem que em um grau altamente superior, o Cristo, quando animou o seu discípulo Jesus.

7) VASITVA (o poder de comandar). É o poder de tornar-se mestre das forças elementares da natureza, utilizando o poder do som criador ou mantra. Pela palavra sagrada, as vibrações são produzidas no éter e as diversas formas podem ser produzidas. A gente se recordará da transformação da água em vinho pelo mestre Jesus, do mesmo modo que da multiplicação dos pães. Segundo os yogues, este poder permite igualmente tornar dóceis os animais selvagens, bem como exercer um ascendente sobre o espírito dos seres e das coisas.

8) ISATVA (o poder criador). Isatva se refere ao poder que tem o adepto de dispor dos elementos em suas cinco formas e de ressuscitar a vida no plano físico, como fez Jesus Cristo com Lázaro. Muitos outros mestres têm conseguido este grande poder espiritual, tais como, TomoGershè Rimpoché, Babaji, para não citar outros.

Cada centro desenvolve certos poderes particulares. Isto é o resultado de exercícios místicos tais como o TRATAKA, isto, é a fixação do olhar sobre um objeto. Entretanto, os poderes resultam, sobretudo, de um triângulo constituído da concentração (DHARANA), da meditação (DHYANA), e do êxtase contemplativo (SAMADHI), estado resultante da subida de Kundalini. Estes três estados são chamados de SAMYAMA. Existe, bem entendido, vias mais específicas que insistem no desenvolvimento dos centros psíquicos como o LAYA YOGA ou KUNDALINI YOGA, ambas incluídas, por outro lado, na prática das técnicas tântricas. Eis aqui, resumidamente, a qualidade dos poderes inerentes a cada centro psíquico. A comunicação mediúnica se opera com o auxílio dos Chakras, e quanto maior o número de Chacras envolvidos na ligação, maior a sua perfeição. Quando não se faz como seria de desejar, a comunicação se dará através de comunhão mental, reduzida ao mínimo a influência sobre os centros neuropsíquicos.

Chacras e Suas Cores

As cores, que variam de chacra para chacra, também reluzem de um modo que contribui para sua aparência de flor. Em uma pessoa saudável, as formas dos Chacras se encontram num belo equilíbrio simétrico e orgânico, em que todas as partes fluem em uníssono, num padrão rítmico. Seu movimento tem na verdade um caráter harmônico e musical, com ritmos que variam de acordo com as diferenças individuais de constituição e temperamento.

Os chacras etéricos, que se situam na superfície do corpo etérico, variam em grande escala quanto à tonalidade, luminosidade, tamanho, rapidez de movimento, ritmo e textura, alguns sendo mais delicados e outros mais grosseiros, dependendo da idiossincrasia e do estado de saúde do indivíduo. Por esse motivo, o processo da doença é bastante visível nos chacras, uma vez que não apenas rompe seu movimento harmônico como também altera a textura dos seus componentes.

Também revelam a qualidade de consciência da pessoa, bem como o grau do seu desenvolvimento pessoal e suas habilidades, através das variações nos centros etéricos e das suas ligações com os Chacras dos outros níveis. Num indivíduo simples e relativamente subdesenvolvido, os Chacras serão pequenos, lentos, de coloração baça e de textura grosseira. Já numa pessoa mais inteligente, receptiva e sensível, eles serão mais brilhantes, de textura mais fina, e seus movimentos mais rápidos; finalmente, num indivíduo desperto que usa,  totalmente seus poderes, eles se tornarão fulgurantes remoinhos de luz.

Origem

A palavra Chakra significa literalmente roda. Os Chakras são os pontos onde se encontram e fundem as Nadís, ou meridianos, canais condutores da energia no organismo. Estas Nadís unem-se em vários pontos que rodam no sentido dextrógiro (que provoca rotação para a direita - no sentido dos ponteiros do relógio. Antônimo de levógiro).

A noção de Chakra faz parte do tantra ou tantrismo, para o qual a kundalini reside no Muladhara. O objetivo das práticas tântricas, que são essencialmente Bhakti Yoga, é a subida da kundalini através dos chakras, ativando-os, a fim de se unir no Sahasra com Shiva, aqui representado como essência espiritual.

Os chakras, descritos em textos tântricos tradicionais, despertaram também a atenção do movimento esotérico europeu, por exemplo, do Rev. Leadbeater, teosofista.

Os chakras estão registrados em culturas antigas e referenciados como pontos energéticos utilizados para cura e progresso energético e Espiritual. O Qi Gong da China ou Acupunctura, O Yoga da Índia e outras culturas antigas tinham conhecimento destes pontos e de como trabalhar com eles era benéfiio à saúde.

São centros de energias em nossos corpos. A "comunicação" ou "entrada e saída" do fluxo energético entre o nosso ser físico e o universo se dá através de pequenos "exaustores" colocados na camada imediatamente sobreposta à matéria do nosso corpo, que são os Chacras. Os principais, localizados do púbis ao topo da cabeça e contados de baixo para cima, formam uma espécie de "canal central" desta comunicação que chamaremos de espinha dorsal energética.

Através dos Chacras podemos detectar desequilíbrios de qualquer parte do circuito e equilibrá-los. Esse trabalho poderá ser feito com os cristais, as cores e as mãos, juntos ou em separado. Os Chacras podem ser equilibrados também através do uso de cristais e pedras que possuem as devidas cores recomendadas, ou use lâmpadas coloridas, que devem ser de no máximo 40W.  Seu uso não deve ultrapassar três minutos, mantenha as lâmpadas sempre a oito centímetros de distância dos Chacras.

O corpo físico e cada um dos chacras

Nosso corpo físico tem uma ligação sutil com o mundo astral. É através do desequilíbrio desta energia vital que as pessoas adoecem e acabam obstruindo esta ligação com o Divino. Daí, a relação entre as doenças e as crises emocionais. É muito comum ver pessoas que acabam somatizando e transformando energias negativas, depressão, raiva, solidão, em doenças físicas, como cânceres e outras mais graves. Nosso corpo físico tem pontos, que quando ativados, fazem fluir a energia vital, nos trazendo alegria e, principalmente, saúde. É através dos nadis (meridianos) - caminhos invisíveis dentro do nosso organismo - que a energia vital caminha por todo o nosso corpo e chega aos chacras, em pontos que concentram vibrações mais específicas.

 

Primeiro Chacra - Muladhara (Base ou Raiz, Coccix)

  

 

É a sede do corpo físico. Reflete e representa energia da vida em si – Sobrevivência, Necessidades Básicas, Terra. Concentra a pessoa à energia telúrica. Questões relacionadas à sobrevivência. Sua cor é o vermelho e ele está ligado às gônadas. Está localizado na base da coluna vertebral, sobre a região pélvica, na altura do cóccix, distância de oito dedos abaixo do umbigo, nos órgãos genitais e na pélvis, relacionado com as gônadas (glândulas sexuais) e governa o sistema reprodutor. Este Chacra anima a substância do corpo físico, o poder e o instinto de sobrevivência. É a ligação com a terra. Concentra as energias da Kundaliní, que uma vez despertadas progridem coluna acima, seguindo um padrão geométrico similar ao padrão apresentado na dupla hélice das moléculas de DNA que contém o código da vida. Seu sentido é o olfato, o som é LAM, as Glândulas Endócrinas são as Supra-renais, alimentação as Proteínas - frutos vermelhos – vegetais.

Seus  Óleos, mirra - vetiver – Patchouli, seu metal é o  chumbo, seus planetas, Saturno e Terra, seu elemento,  Terra.

As pedras deste Chacra são vermelhas:

Rubi – Como símbolo dos aspectos positivos do raio vermelho, da força vital, do calor humano, o rubi atua de forma estimulante por toda a circulação sanguínea. Desperta o espírito de combatividade e acelera a cicatrização, auxiliando na cura de ferimentos. Deve ser usados por aqueles que se sentem sonolentos, desanimados, ou por aqueles que estão anémicos. Também tem o poder de evitar o aborto.

Coral – Esta pedra traz em si as vibrações quentes do verão. Funciona como boa proteção contra o mal olhado e estimula a inclinação para o lazer e as diversões. Dá tenacidade e persistência àquele que a usa, vitaliza e estimula o fluxo sanguíneo. Esse tipo de pedra deve ser escolhido com muito cuidado: não deve Ter buracos nem manchas muito evidentes, pois por ser de origem animal, pode trazer infortúnios e azar. Os vermes e as esponjas marinhas provocam buracos no coral e ele pode causar dores no corpo e enxaquecas. Essa pedra com manchas pretas atrai acidentes fatais.

Jaspe sanguíneo – Combina as propriedades de dois elementos: o fogo e a terra. Por isto torna as pessoas mais práticas, mais objetivas e aguça o instinto de sobrevivência, fazendo com que aqueles que a usam aproveitem melhor oportunidades ligadas a provisão de bens para sobrevivência. É uma pedra para solução de conflitos, pois os elementos terra e fogo se autocontrolam – a terra apaga o fogo, e o fogo endurece a terra. O fogo simboliza atividade constante, representa a criatividade; a terra por sua vez, representa a imobilidade e a praticidade. Portanto o jaspe faz com que as pessoas usem suas idéias e criatividade de modo prático.

Granada – Calor, força, criatividade, coragem, autoafirmação e força vital ativa são algumas características estimuladas da granada. Por ser uma pedra com excesso das propriedades do fogo, deve ser usado em pessoas fracas, deprimidas e sem autoridade. Propicia muito entusiasmo e criatividade. Também pode ser aplicada no chacra do coração, para dar alegria, vigor e disposição. Desperta ainda o calor humano e o sentimento de fraternidade.

Magnetita – Possui grande poder anestésico, desmancha as formações cristalinas causadoras da dor. Seu alto teor de ferro atua de forma imediata, aliviando as dores e articulares, o reumatismo e o artritismo, além de combater a dor de cabeça e a nevralgia. Também ajuda a atrair novas amizades.

É responsável por nossa força e saúde física, sensualidade, emoções reprimidas; estimulante da maturidade e do senso de realidade física; quando em desequilíbrio nos torna irritadiços, instáveis, com sonos profundos e insônias, sem força de vontade e desprovidos da segurança e estabilidade necessária.

Aspectos a serem compreendidos: Sobrevivência, alimento, conhecimento, realizações, valores (segurança financeira), sexo (procriação), longevidade e prazer.

Bloqueios que denunciam a disfunção do Chacra: Falta de dinheiro - más relações no lar ou no trabalho - má relação com a mãe física - dores nos ossos ou dentes - constipações - rinites, sinusites, coluna ou rins, etc.

Influências:

Desequilíbrio no Físico: Anemias, resfriados, sexualidade reprimida ou excessiva, frigidez, impotência, insuficiência renal, fadiga, dores nas articulações, dores lombares e nas pernas, pressão alta ou baixa, problemas de coluna, osteoporose, falta de energia, prisão de ventre, diarreia, colite, apendicite, etc.

Emocional equilibrado: Impulso para agir, consciência instintiva básica, força, agressividade controlada, coragem, afeição, criatividade, generosidade, capacidade de sentir prazer, pessoa sensata, segura e estável, habilidade em prover o necessário para vida e capacidade de cuidar de si.

Emocional desequilibrado: Egocentrismo, agressividade, preocupação, inexatidão, indolência, extravagância, não permite o prazer, pessoa sem vida, desanimada, confusão de interesses, insatisfação, medo, timidez, insegurança, histeria, paixões fortes, aspereza, dificuldade em lidar com finanças, medo de arriscar-se, apego material, tabus sexuais.

Forma geométrica: quadrado, possuindo grande relação ao conhecimento ligado a terra, às quatro dimensões e às quatro direções.

Fase da vida: Desde a união do espermatozoide com o óvulo, até 7 ou 8 anos.

Funções: Um indivíduo dominado por este Chacra geralmente dorme de dez a doze horas por noite, sobre o estômago. Este Chacra inclui os planos da origem, ilusão, ira, avidez, desilusão, avareza e sensualidade, aspectos inerentes à existência humana. O desejo de mais experiência e mais informação age como força motivadora, um ímpeto básico para o desenvolvimento individual.

O Chacra Muladhara é o local da Kundalini enroscada, da Shakti vital, ou força energética. A serpente Kundalini está enroscada em torno do Lingam Svayambhu, onde nasce e reside a energia kundalini que se movimentam em espiral, pelas nadis, rios internos conhecidos por Ida e Píngala que distribuem por todo o corpo energia e o impulso de vida. É também o centro erótico do Ser.

- Nadi Ida: canal esquerdo transportador das correntes lunares, natureza feminina visual e emocional, produção de vida, energia materna, respiração esquerda que proporciona estabilidade para a vida. A narina esquerda é aberta durante o dia, equilibra a energia solar criando um equilíbrio para si, tornando-nos mais relaxados e mais alertas mentalmente.

- Nadi Píngala: canal direito transporta correntes solares, natureza masculina, depósito de energia destrutiva, também purificador, a narina do lado direito é de natureza elétrica masculina, verbal e racional. Torna o corpo físico mais dinâmico, (eficiente e ativo durante horas noturnas, aumentando a saúde). Quando um casal tem um orgasmo sexual, sem repressão e com consciência; em algumas vezes, elevam a kundalini, nutrindo todos os chakras através de Sushumna, Ida e Píngala.

 

 

 

Segundo Chakra - Svadhistana (Chakra da polaridade - Básico - Chacra órgão genital e base da barriga).

 

 

 

Relaciona-se com criatividade, sentimentos e sensualidade, o equilíbrio masculino-feminino com energia sexual. Sua parte traseira relaciona-se com a mente subconsciente. Sua cor é o laranja, relaciona-se com as glândulas supra-renais  e aos órgãos baço/rins e intestino. Está localizado dois dedos abaixo do umbigo, abdômen - região pélvica. Localizado na lombar e abaixo do umbigo, está relacionado com as glândulas supra-renal regendo a coluna vertebral e os rins. Rege os rins, sistema reprodutor, circulatório e bexiga. As energias como a paixão, sensualidade e a criatividade são manifestadas através deste chakra. É a sede dos nossos desejos, controla o nosso apetite alimentar e sexual, o aparelho e os órgãos de procriação, tanto masculinos quanto femininos, a fertilidade, a criatividade. Guarda as lembranças das vidas passadas, provoca sonhos proféticos e sensibilidade apurada, é a sede da nossa vitalidade. É chamado pelos chineses de tan-tien (terra dos remédios). Aspectos a ser compreendidos, poder de sedução, criatividade e relacionamento.  Sua forma geométrica é o círculo, representa a forma crescente da lua.  Fase da vida: de 8 aos 14 anos.

Sua cor é laranja,  tonifica, acolhedora e estimula a alegria. É uma cor social que traz otimismo, expansividade e equilíbrio emocional. Traz confiança e automotivação. Azul ou verde para sedar. O sentido é o paladar, o som é VAM, o elemento é água, as Glândulas Endócrinas: Gónadas (ovários - testículos), sentido, o gosto.

Seus óleos são sândalo, cárdamo e gengibre, seu metal, o estanho, seu planeta a Lua.

Suas pedras são alaranjadas:

Cornalina – Além de possuir as elevadas características do elemento terra, como praticidade, bom senso e ponderação, esta pedra traz em si o registro da luz Divina no momento da criação da terra. Tida como pedra de sorte, é muito usada pelos árabes para a gravação do nome de Alá. Proporciona segurança, idéias úteis e nos mantém controlados diante de problemas ou situações difíceis. Ajuda-nos a entender as contradições da vida e a conviver com pessoas muito diferentes de nós.

Ágata marrom-alaranjada – Esta é a pedra da flexibilidade. Possui diversas cores, tons, desenhos e um jogo de luzes e sombras. É ideal para aqueles que desejam mudar de vida radicalmente. Sua luz alaranjada beneficia e ativa o segundo chacra.

Funções: Energia de criatividade e impulso emocional; é o centro da procriação, manifesta-se sexualmente, mas sob o aspecto de sensação e prazer; fantasias e desejos sexuais. É representado por uma lua crescente. Neste Chacra inicia-se a expansão da personalidade. Centro da purificação.

Bloqueios que denunciam a disfunção do Chakra, passividade e negligência - bulimia ou anorexia - não maternidade ou, não paternidade.

Influências:

Desequilíbrio no Físico: desarmonia dos rins, fígado, pâncreas, vesícula e bexiga. Alergias alimentares, problemas menstruais, distúrbios gástricos e intestinais, dores lombares, no sacro e cóccix, falta de vontade de realizar as coisas, insatisfação com o que estamos fazendo ou trabalhando, vida sexual desregrada, falta de apetite alimentar e sexual, esterilidade, falta de criatividade.

Emocional Equilibrado: União sexual com prazer, alegria instintiva, capacidade de planejamento, coragem de viver, paixão, habilidade em relacionar-se, jogo de cintura, flexibilidade, auto-aceitação e paixão pela vida.

Emocional Desequilibrado: Medo, incapacidade de construir, distração, raiva, ódio, inveja, insegurança, falta de paixão, tristeza, manipulação e apego, dependência emocional, vícios e auto-destruição.

 

 

Terceiro Chacra - Manipura (Plexo Solar, Chacra do umbigo)

 

 

É o Chakra que reflete o poder pessoal, atividade intelectual e o desenvolvimento da personalidade e sua influência. Sua cor relacionada é o amarelo, rege o plexo solar, o estômago e o fígado.  Está localizado no meio das costelas, abaixo do osso externo, sobre a "boca do estômago".  A área de influência deste Chacra é o sistema digestivo: estômago, fígado e a vesícula biliar, além do sistema nervoso. Suas Glândulas Endócrinas, pâncreas, supra-renais.  Sua Forma Geométrica é um triângulo invertido, sugerindo o movimento descendente da energia. Fase da Vida: 14 a 21 anos.

Sua cor é amarelo dourado para tonificar. Seu sentido a visão. Seu Mantra é  RAM (lê-se o "R" com em vidro) - o principal ponto de concentração durante a produção deste som é o umbigo. Traz longevidade. Seu elemento o fogo auxilia a digestão e a absorção do alimento fornecendo a energia vital. Seus óleos, limão e lima, seu Metal o ferro. Seu Planeta é Marte.

Suas pedras são na cor amarela:

Topázio – O raio amarelo representa a intelectualidade elevadíssima. O raio amarelo dourado de um topázio de ponta e triangulação perfeita é muito forte, atuando em casos mais complicados de traumatismos nervosos, pois resgata a serenidade e a harmonia. Uma das características mais interessantes desta pedra é a sua facilidade em fazer com que nos aproximemos dos amigos e tenhamos mais consideração pelo próximo. É o cristal dos escritores místicos, porque seu raio traduz os segredos e as leis cósmicas. Além de conferir liderança, espírito de iniciativa, agilidade de raciocínio, sua luz traz prosperidade material. Outra característica interessante do topázio é que ele tem um pacto de amizade com os elementais dos pinheiros e das montanhas, ou seja, com os gnomos e os duendes, pequenos seres encantados abrigados pelas florestas. Ao sintonizar-se com a luz desta pedra, vocês podem unir suas forças as forças desses seres da natureza.

Citrino – A luz do citrino é a reprodução da luz do sol, luz de ampliação, vida, força e autoconfiança. Estimula a auto-expressão, a criatividade, deixando as pessoas mais carismáticas. Esta pedra deve ser usada quando houver falta de espontaneidade, de vontade, de iniciativa. Suas palavras chaves são: Autoridade, consolidação, magnetismo, acumulação, e sua luz amarela faz com que nos expressemos livremente, muitas vezes de maneira dramática e audaciosa. O citrino limpa e regenera o terceiro chacra, passando à matéria todo o potencial divino reprimido dentro dos indivíduos. Em seu aspecto mais ligado a terra, ele se associa à recreação, aos romances, à afeição e aos filhos; num plano mais espiritual, desfaz o orgulho egoísta, a infantilidade, a cegueira amorosa, a indolência e a cólera.

Aspectos a serem compreendidos: Individualidade e poder pessoal (como você se vê), sua identidade no mundo.

Função

Ele serve para promover a clareza de raciocínio. Benéfico aos estudos e todos os processos de aprendizagem. Cuida de todo o aparelho digestivo. Quando em desequilíbrio, proporciona má digestão, azia, dores no peito, disfunções hepáticas, nervosismo e desinteresse com os estudos.

Bloqueios que denunciam a disfunção do Chacra: Problemas de vista - problemas de pele - problemas musculares - controle e manipulação - dependências - dificuldade de afirmação e de identidade – super atividade mental ou intelectual

Influências

Desequilíbrio no Físico: Má digestão, diabetes, toxinas, úlceras e hérnias, gastrites e problemas de assimilação dos alimentos. Hipocondria, câncer no intestino e anorexia ou bulimia.

Emocional Equilibrado: Impulso para vivenciar as emoções, colocar-se expressando suas próprias qualidades, vontade de liderar, amor à vida, aptidão para experimentá-lo com plenitude, propósitos definidos de ações, intuição, ternura e boa vontade. Auto-estima, confiança e alegria.

Emocional Desequilibrado: Ansiedade, egoísmo, vaidade, ciúme, preconceitos, ira, timidez, intransigências, abuso de poder, impaciência, preocupação. Não sabe dizer não. Desconfiança, arrogância e baixa auto-estima.

 

 

Quarto Chacra - Anahata (Coração)

 

 

 

 É o Chacra cardíaco. Reflete todas as qualidades de amor e carinho. Refere-se à cura, devoção e altruísmo, amor incondicional. Relaciona-se à glândula timo, com o coração e o pulmão. Está localizado sobre o osso externo, acima do coração, tórax, no meio do corpo e no meio da linha que vai de um ao outro mamilo. Situa-se na região do tórax e está conectado com a glândula timo, responsável pelo funcionamento do sistema imunológico. É Chacra do coração, centro energético do amor. A elevação das energias do Chacra do plexo solar até o coração acontece em indivíduos que estão desenvolvendo a capacidade de pensar e atuar em termos de coletividade. As doenças do coração, sistema circulatório e sangue podem ser tratadas através deste Chacra. Fases da vida: 21 a 28 anos.

Sua forma geométrica é o Hexagrama - dois triângulos sobrepostos, um voltado para cima, simboliza Shiva, o princípio masculino. O outro triângulo, voltado para baixo, simboliza Shakti, o princípio feminino. Atinge-se o equilíbrio quando estas duas forças estão unidas em harmonia.

Sua cor é a rosa que representa amor incondicional e verde que é dilatador de veias, artérias e músculos, usado para pressão alta, cateterismo. É relaxante do sistema nervoso, principalmente simpático e muscular, auxiliando nos casos de esgotamento, irritação e insônia; regula a pressão arterial, o sistema circulatório e estimula a glândula pituitária, normalizando a função das demais glândulas. Auxilia nos casos de febre, quando não se sabe a causa da infecção. Cria espaço no coração como o frescor da primavera, fazendo sentir-se renovado. Violeta e magenta (falta de energia) para tonificar.

Seu Mantra é YAM, a concentração deverá estar centralizada no coração, desfazendo qualquer bloqueio na região cardíaca, proporcionando controle sobre a respiração. O elemento é o  Ar  que auxilia o funcionamento dos pulmões e do coração. A estrela de seis pontas simboliza o elemento ar.

Suas pedras são verde ou rosa:

Turmalina verde – uma cor calmante, fria e delicada, esta pedra trás a luz da estrela de Vênus e é indicada para pessoas de muita sensibilidade que são prejudicadas pela energia negativa de outras pessoas. A turmalina verde é uma pedra de apoio, porque devolve as energias negativas à sua origem. Sua luz equilibra o sistema nervoso, propicia uma maior compreensão das emoções e da fragilidade humana, inspira as pessoas a unirem a imaginação à realidade para expressar suas emoções por intermédio das manifestações artísticas.

Amazonita – O verde forte, azulado, sintetiza o poder das forças da natureza. Ela absorve o excesso de energia e tem grande potencial de cura. Utilizada em meditação, esta pedra nos eleva além de nosso Eu pessoal e nos ajuda a sintonizar com o espiritual. Ela acentua as qualidades, auxilia no parto e aumenta a expressão criativa. Também atrai sucesso e sorte no jogo.

Malaquita – O verde espiralado reproduz as formas das diversas energias sendo absorvidas pelos chacras, por isso esta é uma pedra de grande poder energizador. É tida como o espelho da alma. Revela nossos medos mais profundos sobre mudança e crescimento. Pode ser aplicada sobre qualquer chacra ou parte do corpo, pois se trata de uma pedra curativa para todos os fins, mas funciona melhor sobre o plexo solar. Quando colocada neste, libera a tensão do diafragma e restaura a respiração profunda e plena. Assim, equilibra a energia entre o centro do coração e o chacra umbilical. Os antigos egípcios consideravam-na uma pedra sagrada. A malaquite abre a terceira visão e também ajuda a reter as lembranças de nossas viagens astrais. Embora tenha grande poder de energia, a malaquite não deve ser usada isoladamente, pois não tem o poder de descristalizar o que puxa para si, como as mágoas acumuladas, por exemplo. Os cristais de quartzo branco complementam o seu trabalho, agindo como descristalizador.

Esmeralda – Considerada a pedra de mercúrio, o planeta do intelecto e da comunicação, que rege os educadores, conferencistas, escritores e todos aqueles que lidam com as leis e a escrita. Mercúrio segue o sol de perto e por isso a esmeralda pode, ao contrário do que muitos afirmam, ser usada com pedras amarelas. Ela atua sobre a intuição, traz riqueza e fartura, protege as pessoas contra o mau olhado. A esmeralda de cor verde folha é ótima para os governantes e todos aqueles que almejam o poder. Tem a capacidade de nos alinhar com as forças naturais. Utilizada para melhorar a memória, aumentar a capacidade de compreensão e produzir um discurso eloquente.

Jade – Humildade e sabedoria são as lições principais desta pedra. Seu raio verde é tranquilizante e tem grande poder de cura. Afasta as influências negativas porque não as absorve e emite uma constante vibração de harmonia. No oriente, o jade é tido como símbolo da paz e possuidor de muitas virtudes, como a bondade, a justiça e a coragem.

Cristal de quartzo rosa – Seu raio rosa claro nos traz alegria e calma, desperta o desejo de nos aproximarmos da natureza. É considerada a pedra do amor. Estimulam na mulher as forças femininas, a vaidade e o desejo de ser bela. Atrai a energia sexual dos chacras inferiores para os superiores, dando maior nobreza aos sentimentos. Deve ser usada com o quartzo azul para um perfeito equilíbrio de forças. Seu uso em excesso torna as pessoas muito vaidosas e competitivas no campo amoroso.

Glândulas Endócrinas, o Timo, o sentido é o tato, os óleos são pinho - bergamota - melissa (erva cidreira), os minerais, esmeralda, turmalina verde, jade verde, malaquite, aventurina verde, quartzo róseo, Kunzite, turmalina rosa. Seu Metal é o cobre e seu planeta Vênus.

Os bloqueios que denunciam a disfunção do Chacra são distúrbios cardíacos ou pulmonares, má circulação sanguínea, cancro, viroses, asma, bronquite, doenças sanguíneas, colesterol, leucemia, envenenamento, flebite, etc.

Função

Zela pelo bom funcionamento do coração, dos pulmões, da oxigenação do organismo e da circulação sanguínea, simboliza uma chave que liga o emocional ao psíquico. Através dele que são realizadas as curas psíquicas, um elo com seres espirituais de ordens superiores. Quando descontrolado, propicia problemas do coração, distúrbios respiratórios e circulatórios, também gera paixões incontroláveis, fanatismo, ódio, inveja e raiva.

Aspectos a serem compreendidos: amor incondicional, compaixão, perdão, verdade e gratidão.

Influências

Desequilíbrio no Físico: Doenças cardíacas, distúrbios de pressão, problemas pulmonares e bronquites. Sistema imunológico ineficiente e dor de cabeça.

Emocional Equilibrado: Amor próprio e pela humanidade, verdadeira compreensão da compaixão e benevolência, aceitação, bondade, disponibilidade para o perdão, ajuda ao próximo, sabedoria, conscientização do outro, assentamento na estrutura terrena, dá consistência e vitalidade as aspirações amorosas, pacificação, fé na vida e nas pessoas.

Emocional Desequilibrado: Depressão, angústia, desprezo, raiva e medo, apego ao apego, incapacidade de amar e se emocionar. Coração fechado, apego e depressão.

 

Quinto Chacra - Visuddha (Garganta)

 

 

O Chacra relaciona-se com comunicação, expressão, inspiração e o uso da vontade, com a glândula tireoide e com os órgãos da fala. Sua cor é o azul. Está localizado na garganta, base do pescoço, onde os ossos da clavícula se encontram. Localizado sobre a garganta, suas glândulas  tireoide e paratireoide. Ligado à inspiração, a comunicação e a expressão com o mundo. Fases da vida: 28 a 35 anos.

Sua forma Geométrica é a Lua crescente. Sua cor é azul que age como tranquilizante na aura. É calmante do sistema nervoso, e equilibrador nos casos de obsessão. Seu Mantra: HAM (lê-se o "H" como em help) - representa o som do corpo. Este som puro afeta o ouvinte, alterando os espaços de sua mente e de seu ser. O Elemento É o Ar (éter), mas num sentido mais sutil, associado ao som (Mantram). O sentido é a Audição, os óleos são lavanda, camomila, gerânio, os minerais, turquesa, crisocola, topázio azul, água marinha, sodalite. Seu metal é o Mercúrio, o planeta é Mercúrio.

Suas pedras são na cor azul:

Água-Marinha – Dedicação a nobres ideais, devoção pura e elevada espiritualidade são algumas das qualidades que a Água-Marinha confere. Sua luz aponta nossas falhas para que possamos transformar nossos inimigos em irmãos cósmicos. Ajuda-nos a Ter paciência e força para enfrentar a dura realidade do dia-a-dia, para que possamos superar o "véu de maya"( ilusão da matéria). Esta pedra faz com que percebamos a beleza interior de todos os seres, elevando-os a filhos do Criador Divino, e traz a aproximação do anjo da guarda. Ao abrir o chacra da garganta e fortalecer as cordas vocais, facilita a comunicação. Pode ser utilizada em reuniões em que decisões importantes serão tomadas e estão na dependência de acordo entre várias pessoas, pois ela melhora a comunicação interpessoal, ajuda na busca de pontos de vista comum. A água-marinha ainda desperta a criatividade nos compositores de música. É uma pedra que tem muita jovialidade e pureza infantil e traz de volta nossa sensibilidade para a comunicação direta com as forças cósmicas. Eleva as vibrações e a intelectualidade, dá intuição e pode ser considerada a pedra dos místicos e sensitivos.

Turquesa – Em diversos países, como o Egito, o Tibete, o Sri-Lanka, a turquesa é considerada uma pedra sagrada. Seu azul traz a vibração do céu, e ela protege o nosso corpo e nossa alma das vibrações negativas que possam chegar até nós.

Sodalita – É uma pedra que nos ajuda a terminar todos os trabalhos iniciados e de difícil conclusão. Por seu poder de abrir a terceira visão, é largamente usada para a meditação É também uma pedra que facilita a comunicação, boas para pessoas que falam muito no trabalho, como professores, palestrantes, etc.

Aspectos a serem compreendidos: Comunicação interna e externa, esclarecimento que conduz ao estado de consciência.

Funções: Auto conhecimento, felicidade. O indivíduo se eleva e se purifica de todos os carmas; renascimento para a realização da unidade.

Bloqueios que denunciam a disfunção do Chacra são distúrbios consigo na garganta, angina, hiper ou hipotiroidismo, amígdalas, problemas de metabolismo, problemas nos braços ou mãos dado que estão diretamente ligados a este Chacra (acidentes - dores - entorpecimento, etc)

Influências

Desequilíbrio no Físico: Laringite, faringite, problemas de tireoide e paratireoide, doenças mentais, distúrbios da fala, gagueira e surdez.

Emocional Equilibrado: Sensibilidade, criatividade artística, dom da palavra e do conhecimento, clariaudiencia, intelecto claro, independência, idealização, senso de planejamento, força de vontade, capacidade de tomar decisões.

Emocional Desequilibrado: fobias, covardia, falta de criatividade, mentalidade e expressão tacanha, rude e pobreza de espírito, criticismo, preconceitos, atitudes extremamente racionais, pessoa que reclama o tempo todo, agressividade verbal e apego a crenças limitantes.

 

 Sexto Chackra - Anja (Frontal, Terceiro Olho)

  

 

É o chakra relacionado com a visão interna ou espiritual, também chamado de visão central. Reflete intuição, poder mental, de decisão e conhecimento interior. Sua glândula associada é a hipófise e com os órgãos de visão e de crescimento, também associado a mente inconsciente. Está localizado no meio da testa, entre as sobrancelhas, acima e entre os olhos e  se relaciona com a glândula pituitária. Fases da vida: 35 a 42 anos.

Sua forma Geométrica é o círculo. Suas cores são dourado para concentração, falta de memória. O violeta é tranquilizante e calmante, pois clareia e limpa a corrente psíquica do corpo e mente, afastando problemas de obsessão mental e psicose. Seus óleos, Patchouli, benjoim. Seu metal é prata, seu planeta é Júpiter.

Seu Mantra é OM,   o responsável pela irrigação energética dos olhos. Desenvolvido, facilita a clarividência e a intuição. (ás vezes palpita como um coração). Intelectualismo excessivo, manipulação de pessoas, questionamento excessivo são alguns dos desequilíbrios ligados a esse chakra. Seus elementos, a presença de todos os cinco elementos, com três gunas que são manas (mente), buddhi (intelecto), Ahankara e chitta (o ato de ser - o ser).

Suas pedras são azul índigo e lilás.

Safira anil – Quando em contato com a luz do sol, a safira anil verdadeira emite uma luz azul. Eleva a espiritualidade e propicia uma grande inclinação para tudo o que diz respeito à cultura. Proporciona sucesso, boa reputação, fama e prosperidade. É também uma pedra curativa de grande poder de purificação, baixa a pressão arterial, alivia dores e combate a febre.

Lápis-lazuli – Todos os conhecimentos e leis universais estão sintetizados no azul cintilante e misterioso do lápis-lazuli. Movimentando a consciência rapidamente para planos superiores, instila o idealismo e a disposição para trabalhos corporativos. Também é uma pedra de abertura da terceira visão. No Egito antigo, acreditava-se que ela possuía forças sobrenaturais, que era uma mensageira de Deus, e por isso foi muito utilizada como talismã ou amuleto. Os poderes de purificação mental e espiritual do lápis-lazuli são inegáveis, mas não devemos usá-lo sozinho, pois ele não tem o poder de absorver e descristalizar as emoções que vem à tona. O quartzo rosa, a ametista e a rodocrosita são bons companheiros para resolver os impasses criados por esta pedra, porque contrabalançam e compensam sua incapacidade de diluir as energias negativas.

Azurita – Também é a pedra da terceira visão. A azurita remove todos os bloqueios e ilusões, traz paz e harmonia, aprofundando a consciência de nossa origem divina. Sua luz curativa alinha o corpo físico com os corpos sutis e o corpo de luz. Trata-se sem dúvida de uma pedra de meditação.

Funções

Rege a intuição, o despertar psíquico e intuitivo,  a vidência, a serenidade, a pureza, o bom funcionamento da memória, funções cerebrais e olhos.

Aspectos a serem compreendidos

Intuição (fenômenos paranormais) e a consciência. Capacidade de se observar sem julgamento.

Bloqueios que denunciam a disfunção do chakra: Falta de imaginação e criatividade - problemas de comportamento - esquizofrenia ou paranóia esquizoide - criação de mundos artificiais - pensamento rígido - pesadelos e distúrbios do sono ou repouso

Influências

Desequilíbrio no Físico: Rinites, problemas de ouvido, de olhos, surdez, tontura, enxaqueca. Cansaço e confusão mental.

Emocional Equilibrado: Percepção em relação ao universo que o cerca, entendimento do próprio caminho, percepção, intuição, fé e devoção, carisma, magnetismo, força, sabedoria, capacidade de concentrar-se e foco no objetivo.

Emocional Desequilibrado: Desconcentração, dogmatismo, vê a vida com limitação, arrogância, medo, perda da fé e sedução, delírios, egoísmo, obsessão, teimosia e apego a crenças impostas pela sociedade.

 

 Sétimo Chackra - Sahasrara (Coronário)

  

 

O Chacra do topo da cabeça está relacionado com a mente super consciente, com o Eu Superior e/ou com Deus. É o portão de entrada das energias superiores. Sua cor é a luz branca ou violeta. Está relacionado com a glândula pineal e com o cérebro. É a conexão espiritual. Mostra esclarecimento, nossa conexão aos elevados planos de consciência (conhecimento). Está localizado no topo e no centro da cabeça, mas pairando sobre ela, mais ou menos semelhante ao circulo dourado que os santos católicos possuem sobre a cabeça. Localizado no topo da cabeça. E o portal da espiritualidade, do reconhecimento de Deus/Deusa em nós e no outro.

Seu elemento é o espaço, o éter, sentido a empatia, seu metal é o ouro e o planeta é Urano.

Suas pedras são brancas:

Diamante – A forma mais compacta de átomos de carbono encontrada na natureza está no diamante. Além de incolor, apresentam-se em matizes vermelhos, marrons, negros, amarelos e azuis. Com centelhas de luz fulgurantes e encantadoras, é a mais alta manifestação da luz Divina. Traz proteção contra acidentes, animais venenosos, choques elétricos, elimina o medo dos maus espíritos, traz riqueza, saúde e prosperidade. Junto a orações, o diamante protege as pessoas do assédio de espíritos obsessores. No aspecto puramente material, rege o lado sensual da natureza humana, propiciando os romances e as questões amorosas em geral, e estimula as atitudes refinadas.

Ágata branco-leitosa – Esta pedra transmite uma energia de paz e renovação das forças vitais. Faz com que as pessoas se tornem mais receptivas à luz de Deus e aceitem com tranquilidade suas missões. A ágata branca ajuda as pessoas a superarem as fases difíceis de transição de uma idade para outra. Traz a mensagem da paz da era de Aquário que se inicia e a mensagem de que todos nós devemos nos tornar instrumentos da Sabedoria Universal.

Funções

Iluminação, espiritualidade plena, transcendência, manifestação do Divino. Segundo o Satchakra Nirupana: "O Lótus das mil pétalas é a mais brilhante e mais branca que a lua cheia, tem a sua cabeça apontada para baixo. Ele encanta. Seus filamentos estão coloridos pelas nuanças do sol jovem. Seu corpo é luminoso, é aqui o objetivo final de Kundalini após ativar os outros chakras. O indivíduo que atinge a consciência do sétimo Chacra realiza os planos da irradiação (torna-se iluminado como o sol), das vibrações primordiais, da supremacia sobre o prana, do intelecto positivo, da felicidade, da indolência".

Aspectos a serem compreendidos

Iluminação.

Bloqueios que denunciam a disfunção do Chacra, enxaquecas nos parietais ou generalizadas, sono alterado, disfunções do pensamento ou dislexia nervosa ou motora, doenças neurológicas ou outras como esquizofrenia, paranoia, esclerose, etc.

Influências

Sua forma Geométrica é o Círculo como a lua cheia. Seu Mantra é o Silêncio. Este Chacra não possui Bija-Mantra, pois transcende a palavra e a expressão. É o responsável pela irrigação energética do cérebro e pelo controle de todos os outros chakras. Desenvolvido facilita a telepatia, a mediunidade, expande a consciência. Não tem desequilíbrios.

Chakras Secundários

Chacras dos pés: localizado nas solas dos pés, sua finalidade é descarregar energia elétrica (estática) gerada pelo corpo físico, como também absorver a energia da Kundalini que vem da terra e a energia magnética.

Chacras dos joelhos: atua como um transformador, regulando a quantidade de energia que deve entrar no corpo.

Chacras das mãos: absorve ondas radiativas, bem como, também transmite energia, o que explica a cura pela imposição das mãos

Chacra umeral: localizado nas costas, sobre a parte superior do pulmão esquerdo. Além de exercer influência nos pulmões, é responsável pela reação mediúnica entre o plano espiritual e o físico.

 

Chakras Subsidiários

1. Localização: Calcanhares e pulsos

Função: Passagem da energia para satisfação das necessidades próprias e libertação da agressividade

Muito Aberto: Muito exigente

Fechado: Tendência para andar mais em bicos de pés; não exprimir o EU ou, não querer ser notado; uma sensação de caminhar sobre cascas de ovos, as mãos podem ter um aspecto frio e imperfeito, dificuldade em estender a mão, dar um aperto de mão ou tocar nos outros.

2.Localização: Baço

Função: Paz ao nível emocional

Muito Aberto: Ira excessiva, expressa, por vezes, de maneira doentia

Fechado: Contenção excessiva da ira, que pode ser libertada de forma inconsciente.

3.Localização: Nas clavículas, acima das axilas, e no osso pélvico (osso dabacia)

Função: Expressão de atitudes mentais para com o corpo e seu funcionamento no mundo físico

Muito Aberto: Demasiada consciência e preocupação com o corpo.

Fechado: Inconsciente da exaustão, fadiga ou dor; sem contato com o corpo físico e incapaz de lidar com os problemas dele.

4.Localização: Molares, ligeiramente abaixo deles, e no interior do maxilar

Função: Liberta energia para compreensão ou compreensão maisprofunda relativamente ao corpo

Muito Aberto: Preocupação com o corpo

Fechado: Ignorância das necessidades do corpo; muito semelhante ao chacra anterior

5.Localização: No esterno, entre os mamilos

Função: Vontade de viver; dá força de vontade para as atividades físicas e para a sobrevivência

Muito Aberto: Falta de cuidado quando este é necessário

Fechado: Medo de viver a vida ou de pôr o coração nos atos; por vezes sem vontade de viver.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

topo